Paraguai x Brasil - Neymar comemoração

Brasil venceu com autoridade o Paraguai (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Fabio Chiorino e Rodrigo Borges
09/06/2021
07:00
São Paulo (SP)

O Brasil está virtualmente classificado para a Copa do Mundo do Qatar. Com a sexta vitória em seis jogos, abriu dez pontos para o Uruguai, quarto colocado e hoje último que ficaria com as vagas diretas da Conmebol para o Mundial.

Fecha-se uma porta e abre outra: Copa América. Num torneio desvalorizado e completamente sem sentido dentro do calendário atual, a Seleção Brasileira estará no centro das atenções depois que o governo do país aceitou sediar o torneio e, quase simultaneamente, viu o presidente de CBF cair diante de graves acusações de assédio sexual e moral.

> Vai começar! Confira a tabela da Copa América

E se até a semana passada existia alguma perspectiva de uma posição mais firme do elenco sobre a situação, a ilusão foi desfeita após a vitória contra o Paraguai.


No gramado ainda, o zagueiro Marquinhos reforçou a existência de um hierarquia. Uma hora depois, de forma simultânea nas redes sociais dos atletas, surgiu o tal manifesto, que fez críticas à organização da Copa América pela Conmebol de forma superficial e deixando claro que as questões políticas e a pandemia nunca foram um problema no conflito entre o grupo de Tite e Rogério Caboclo.

Na coletiva, Tite seguiu o mesmo tom, desperdiçando, mais uma vez, a possibilidade de marcar uma posição mas forte e que, de certa forma, resgatasse a identificação com parte da torcida. Não houve boicote, a bola vai rolar. Mas tudo ainda parece fora do lugar.

O LANCE! Espresso é uma newsletter gratuita que chega de manhã ao seu e-mail, de segunda a sexta. A marca registrada do jornalismo do LANCE!, com análises de Fabio Chiorino e Rodrigo Borges. Clique aqui e inscreva-se.