São Paulo x Palmeiras

Rogério Ceni já falou em coletivas de imprensa sobre o setor ofensivo do São Paulo (Foto: Paulo Pinto/São Paulo FC)

Izabella Giannola
28/06/2022
06:00
São Paulo (SP)

No último domingo (26), o São Paulo ficou no empate sem gols com o lanterna Juventude no estádio do Morumbi. Vaiado em campo, o Tricolor paulista mostrou um pífio desempenho ofensivo, o que vem sendo uma tônica da equipe no Campeonato Brasileiro.

Galeria
> Veja clubes brasileiros que podem faturar com mecanismo de solidariedade da Fifa nesta janela

Tabela
> Veja tabela do Campeonato Brasileiro e simule os próximos jogos

Apenas uma em cada onze finalizações do Tricolor paulista resulta em gols na principal competição nacional. Segundo os dados do FootStats, o São Paulo finalizou ao todo 194 vezes no Brasileirão até aqui. Desse total, 125 foram erradas e apenas 69 certas.

Isto é, uma a cada três finalizações são realizadas com êxito. Deste número, uma a cada quatro resultam em gols. A equipe de Rogério Ceni contou com apenas uma vitória nos últimos oito jogos. 

O artilheiro Calleri, por sua vez, vive o maior jejum de gols desta temporada. Sem marcar há cinco jogos, não consegue contar com a ajuda de Luciano e Eder como dupla de ataque. Isto tudo porque os dois atletas não estão conseguindo corresponder, sem marcar há mais de um mês.

No empate com o Juventude, este problema no setor ofensivo foi explícito, e inclusive, notado por Rogério Ceni. Mesmo contando com estatísticas acima da sua média em vários fundamentos, não conseguiu converter nada em gols.

O São Paulo contou com 27 finalizações contra apenas quatro do adversário. Também foi superior no nível de escanteios, com 16 cobrados contra um. Nos cruzamentos, a diferença também foi gritante. O Tricolor paulista cruzou 52 vezes, enquanto o lanterna apenas sete. Mas nada disso impediu que a partida terminasse no 0 a 0.

Ceni reparou nos números superiores do Tricolor paulista e comentou que não entendeu como isso não influenciou de forma alguma no resultado, Para o treinador, o desempenho do elenco no domingo (26) foi superior ao de quinta-feira (23), na vitória contra o Palmeiras, pela Copa do Brasil.

– Tivemos bem menos oportunidades na quinta e ganhamos de um time superior. Você não controla o gol. A bola sobra dentro da pequena área, e o Miranda chuta para fora. O Calleri põe ali de cabeça e perdeu, acho, o tempo da bola - disse.

Sobre os números, o treinador destacou que o time teve repertório para sair com um resultado melhor, ainda mais com as estatísticas apresentadas. 

– Se olhar os números vão perguntar como não ganhou, se olhar as chances de gol ainda... São dias ruins que temos que conviver. Em matéria de volume e repertório, fizemos tudo o que era possível - opinou.

Em 14 rodadas, foram 19 pontos conquistados. A luta do São Paulo é alcançar pelo menos o G-6 até o final do Brasileiro, visando se classificar para a Copa Libertadores no próximo ano. O atual líder do campeonato, o Palmeiras, está com uma vantagem de dez pontos.