Basquete São Paulo

São Paulo apresentou os jogadores que defenderão o clube no NBB (Foto: Reprodução/Instagram São Paulo)

Alexandre Guariglia
26/07/2019
17:17
São Paulo (SP)

O São Paulo apresentou, nesta sexta-feira, o seu time de basquete que disputará o Paulistão da modalidade e a edição 2019/2020 do NBB, para o qual garantiu vaga após adquirir a franquia que pertencia ao Joinville. Em evento realizado no estádio do Morumbi, os dirigentes do clube, a comissão técnica e o elenco falaram com a imprensa para mostrar o processo de montagem da equipe e as expectativas para a competição nacional, além das pretensões de investimentos em mais esportes e não só o futebol.

A apresentação teve início com a palavra do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, que se manifestou ao projeto do clube de estar no topo em outras modalidades esportivas, como o basquete e o vôlei. Segundo o mandatário, o investimento para brigar pelo título da NBB não foi uma questão fácil, mas ganhou adeptos dentro do clube ao longo dos últimos meses.

- Momento é muito gratificante, porque fala de um São Paulo que envereda com outros caminhos que não sejam o do futebol, que é a marca maior, somos são-paulinos porque amamos o futebol, mas o São Paulo é grande para ser representado por outras atividades olímpicas no clube social, além disso se presta um importante serviço de cidadania - declarou Leco, antes de completar:

- Falar desse momento me obriga a ir para a origem, porque eu, admirador e amigo do João Fernando Rossi (Diretor Executivo de Marketing do São Paulo), fui convencido por ele, desenvolvi a ideia de trazer o basquete e isso acabou acontecendo. Disputamos a Liga ouro, fomos vice-campeões, a torcida estava presente e aplaudiu. É razão para que entendam que o São Paulo vai iniciar de forma grande no NBB, e por isso temos um campeão mundial, Claudio Mortari que, assim como José Roberto Guimarães, são-paulino. Então mostra força desse nosso esporte - concluiu o presidente.

Experiente e há muitas décadas de dedicação ao esporte, o técnico Cláudio Mortari assumiu o comando do basquete do Tricolor no fim do ano passado, com um projeto "relâmpago" para disputar a Liga Ouro, segunda divisão do basquete nacional. E mesmo com todos os entraves, conseguiu o vice-campeonato. Agora, na elite do esporte, ele promete que o clube não entra apenas para participar, mas sim para disputar o título.

- Nós não estamos entrando para participar, entramos para disputar, nosso tamanho é muito grande, nosso objetivo é chegar na melhor classificação possível e ser campeão. No pódio só existem três espaços, mas ninguém lembra do segundo e do terceiro - avisou o comandante.

São-paulino de coração e antigo sócio do clube, Mortari falou do sentimento de poder defender essa paixão no comando do esporte que se tornou sua profissão e de como foi rápida a sua conversa com o presidente Leco.

- A vida é uma coisa muito incrível, mais de 50 anos dedicados ao basquete, comecei muito cedo, de repente você tem um convite para trabalhar no clube que você torce, nunca passou pela minha cabeça esse tipo de fim de carreira, e eu fui muito fácil para o São Paulo, nosso papo (com Leco) durou cinco minutos, depois relembramos velhas histórias. Ele diz que teve coragem, mas eu digo da ousadia de montar um equipe que basquete, de vôlei, trazendo para a minha sombra o Zé Roberto, tenho certeza que vamos somar os nossos esforço para levar o clube às conquistas.

Por fim, Mortari relembrou a campanha na Liga Ouro e fez questão de valorizar a assistência que o São Paulo tem dado para o basquete durante os últimos meses e agora, de olho no NBB. Para ele, não há o que reclamar do clube.

- Qualquer reclamação nossa não existe, tratamento que recebemos é o melhor possível. Na Liga Ouro tivemos o tratamento de uma disputa de NBB, não chegamos ao título talvez por uma incompetência minha. Tivemos praticamente 5 meses de trabalho. Nós queríamos um ginásio, agora temos dois, estamos recendendo assistência, trouxemos jogadores que participaram de outros grandes projetos, o que nos dá responsabilidade. Se eu perder, não tenho justificativa. Eles me contratam hoje para ser campeão ontem - concluiu.

Da equipe que disputou a Liga Ouro permaneceram os alas Jones, que é norte-americano, e Danilo, e o armador Igor, que quebrou o quinto metatarso do pé direito em um treinamento e está em processo de recuperação. O jogador deve voltar para a fase final do Paulista e o início do NBB.

Eles se juntam a Cassiano, destaque do Campo Mourão na última Liga Ouro, Jefferson, um dos principais nomes da equipe de Bauru no último NBB, Renan Lenz, peça importante do Paulistano, de onde também veio Georginho, um dos principais nomes da equipe no vice-campeonato do NBB na temporada 2016/2017 e que chegou a treinar com o Houston Rockets na NBA. O garrafão também foi reforçado. Além de Renan, o São Paulo acertou a contratação de Douglas Kurtz, que chega do Basquete Cearense, após ajudar a equipe a chegar nas quartas de final do último NBB, e Mamedes, jovem que vem do Pinheiros.

Completam o elenco dois norte-americanos de respeito: Desmond Holloway, que volta ao Brasil, onde defendeu o Pinheiro, após uma temporada atuando pelo Ferrocarril, da Argentina. Por fim, o São Paulo é a nova casa de Shamell, uma das maiores estrelas da história do NBB e o maior cestinha do torneio. Esse último, contratado para ser o principal jogador do time.

A estreia do São Paulo no Campeonato Paulista acontece na próxima quarta-feira, contra o Basquete Osasco, fora de casa. No dia 3, novo compromisso como visitante, diante do Mogi. A primeira partida em casa pelo estadual acontece no dia 9 de agosto, contra o Pinheiros, às 20h. Já a estreia pelo NBB será um pouco mais demorada, pois o torneio terá início apenas em outubro.