Jorge - Santos

Jorge teve bom rendimento em sua estreia pelo Santos (Foto: Divulgação/Twitter)

Alexandre Guariglia
04/04/2019
21:35
São Paulo (SP)

Com Carlos Sánchez, Alison, Diego Pituca, Jean Mota e Derlis González poupados, o Santos entrou em campo para enfrentar o Atlético-GO, em Goiânia, disposto a abrir uma boa vantagem para o confronto de volta da terceira fase da Copa do Brasil. E jogou para isso, porém as chances desperdiçadas e a expulsão de Gustavo Henrique prejudicaram os desejos santistas, que saíram com uma derrota por 1 a 0. Nada, entretanto, que tenha ofuscado a boa atuação do estreante Jorge.

CONFIRA A TABELA DA COPA DO BRASIL
> Clique aqui para ver

Rodrygo pela direita e Soteldo pela esquerda fizeram um bom jogo durante parte do primeiro tempo, ambos levando vantagem em cima dos marcadores. Em uma dessas jogadas, Cueva teve uma chance clara, mas finalizou mal, algo que tem sido recorrente para o peruano nesta temporada. Enquanto isso, o Dragão aproveitava contra-ataques bem armados para chegar com perigo.

Jorge, no entanto, era o melhor jogador do Peixe em campo. Praticamente como um meia durante toda a partida, arriscou lances de habilidade, com dribles curtos e velocidade, para tentar romper as linhas bem organizadas pelo adversário. Sem posição fixa, principalmente quando o Santos teve a bola, o lateral-esquerdo passou a receber marcação individual, após o time ficar com um homem a menos pela expulsão de Gustavo Henrique. Pelo que jogou, o recém-contratado deverá ser peça importante para este ano.

O vermelho para o zagueiro fez com que Sampaoli recuasse Yuri para uma função quase como terceiro zagueiro, deixando espaço no meio-campo, preenchido com a entrada de Alison. No entanto, o treinador argentino já havia optado por tirar Rodrygo e colocar Luiz Felipe. O jovem atacante vinha encontrando brechas na defesa rival, diferentemente de um discreto Cueva, mantido em campo até os 36 minutos da segunda etapa.

Tal mexida deixou o Peixe quase sem saída para o ataque, que já era complicada com 11 santistas no gramado. A equipe passou a tentar os lançamentos longos, em que raramente levou vantagem. Já o Atlético-GO aproveitou os espaços e levou perigo algumas vezes enquanto os paulistas tentavam se reorganizar em um momento de caos tático.

Dependente de um Cueva sem inspiração, com transições cada vez mais lentas e Jorge mais preso na defesa para fechar espaços, o Peixe viu o desenho da partida caminhar para garantir um empate. No entanto, Jorginho, de cabeça, abriu o placar para o Dragão e piorou a situação da equipe, que pelo sétimo jogo consecutivo não venceu fora de casa, e terá que mostrar poder de reação, e mais alternativas para tentar a classificação para a final do Paulistão na próxima segunda-feira.