Lucas Veríssimo

Lucas Veríssimo fez 31 jogos pelo Peixe em 2020 (Foto: Ivan Storti/Santos)

Fábio Lázaro*
02/01/2021
12:19
Santos (SP)

Para o Santos, a semana com o início da decisão de vaga na final da Libertadores já começou. Na próxima quarta-feira (6), o Peixe encara o Boca Juniors, em La Bombonera, na Argentina, pelo confronto de ida da semifinal da Libertadores. Mas antes, a nova diretoria santista e a comissão técnica do clube vivem a expectativa de saber se o zagueiro Lucas Veríssimo entrará em campo contra os argentinos.

>> Veja aqui a tabela da Libertadores


O defensor não atua desde o dia 16 de dezembro, na vitória por 4 a 1 sobre o Grêmio, pelo confronto de volta das quartas de final da Libertadores, na Vila Belmiro. O motivo alegado foi que a sua cabeça estava na transferência para o futebol europeu e o receio do zagueiro de que isso pudesse atrapalhar o seu desempenho em campo. O camisa 28 recebeu uma proposta do Benfica (POR) no dia 6 de novembro e ela foi aprovada pelo Comitê de Gestão e Conselho Fiscal do Peixe à época, mas barrada pelo Conselho Deliberativo.

Naquele momento, a administração do Santos tinha de obedecer ao artigo 91 do Estatuto Social, que prevê que todas as decisões envolvendo o futebol nos últimos três meses de gestão presidencial precisam da aprovação dos conselheiros. Agora, com a nova administração iniciando os trabalhos nesta sexta-feira (1º de janeiro), a liberdade do Comitê Gestor em conduzir a negociação com o clube português aumenta.

Os Encarnados estão propondo o pagamento de 6,5 milhões de euros (R$ 40,9 milhões) por Veríssimo, com uma entrada no ato da compra mais três parcelas anuais, até 2023.

O impasse de momento é quando o zagueiro seria liberado. A diretoria santista busca a manutenção do atleta até fevereiro, para que ele dispute a fase final da Libertadores. Para isso, será necessário não só uma boa articulação com os lusitanos, como uma recuperação de moral de Veríssimo, ansioso para migrar ao Velho Continente.