Marinho - Santos x Atlético-MG

Com apenas 15 jogos neste ano, Marinho já ultrapassou a marca de gols feitos em 2019 (Foto: Twitter/Santos)

Fábio Lázaro*
17/09/2020
07:00
Santos (SP)

Artilheiro do Santos na temporada, com 10 gols, Marinho tem sido o protagonista da “Era Cuca” no Peixe. Sem jogar durante sete meses, por conta de uma fratura do pé direito sofrida logo na primeira partida da temporada, no empate sem gols contra o Red Bull Bragantino, no dia 23 de janeiro, no jogo de estreia do Paulistão, na Vila Belmiro, ainda sob o comando de Jesualdo Ferreira, o atacante engatou a sua sequência positiva já na chegada do atual treinador.


Portanto, o trabalho de Jesualdo à frente do Alvinegro Praiano foi visto de fora quase que integralmente pelo camisa 11, já que nas mãos do português o jogador atuou em apenas quatro partidas. Já com Cuca, Marinho jogou em todos os 11 compromissos.

Em contato exclusivo com o LANCE!, o atacante não descartou a importância de Jesualdo Ferreira na formação do time, mas salientou que o crescimento santista no último mês está diretamente atrelado à chegada do novo comandante.

– Cada treinador tem suas caraterísticas. Jesualdo teve seus méritos e agradecemos pelo trabalho dele. Cuca é um treinador que dentro de campo tem um trabalho forte. Taticamente suas equipes são muito equilibradas. Isso conta muito, principalmente em uma temporada como a nossa, com muitas partidas. Cuca tem uma parcela enorme nesse nosso crescimento. Fora de campo, ele também é fora de série – disse ao LANCE!.

A participação ofensiva na lateral direita, lado em que Marinho atua, é uma das diferenças visíveis do time de Alexi Stival em relação ao ex-treinador. Pará, que possui características mais defensivas, tem apoiado ofensivamente nas últimas partidas em que esteve em campo, o que ajuda o artilheiro do Peixe nas jogadas de ataque.

– Pará é um jogador muito inteligente e uma característica importante para um lateral, que é a a velocidade, além da força. Ele tem sido muito importante para mim e para o grupo. É um desafogo em muitos momentos de uma partida. Temos total confiança no trabalho dele – afirmou Marinho.

Além de ser o maior marcador de gols do Santos em 2020, o dono do “míssil aleatório” tem participado ativamente das construções ofensivas, sendo o segundo jogador com mais assistências na temporada pelo clube, primeiro no Brasileirão, com três passes diretos para gols.

* Sob supervisão de Vinícius Perazzini