Fábio Lázaro*
23/07/2020
06:30
Santos SP)

O técnico do Santos, Jesualdo Ferreira, apelou para a união do elenco, após o goleiro Éverson e o atacante Eduardo Sasha moverem uma ação contra o clube na Justiça do Trabalho, alegando pendências financeiras.

O treinador português não condenou a postura da dupla, mas afirmou que há algo muito maior em jogo na carreira dos jogadores e que pensa, acima de tudo, no Santos.

– Cada jogador, cada pessoa nesse caso, é livre de tomar a suas responsabilidades. A única coisa que fizemos, que eu fiz particularmente, foi apelar a união, dizer que estava muita coisa em jogo em andamento as carreiras dos jogadores e que era importante que antes de tomar qualquer posição refletissem bem – disse em entrevista coletiva virtual concedida após o empate em 1 a 1 contra o Santo André, na Vila Belmiro, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista, na última quarta-feira.

– Havia um projeto, que é o Santos, que é o mais importante ao logo desse tempo todo. Enquanto se discutia muita coisa, pra mim o Santos sempre foi muito mais importante do que todas essas discussões – completou Jesualdo.

Jesualdo garantiu que o grupo está focado em buscar forças em meio a um ambiente administrativamente delicado e buscar o título paulista, no qual o Peixe não conquista há quatro anos. De acordo com o técnico, esse é o projeto real que o Alvinegro Praiano possui no momento.

– E que o que tem nesse projeto, esse é um projeto real, ele existe, e todos os outros que a gente possa pensar não são reais ainda, pode ser em um futuro, mas no momento não são. Portanto, havia ansiedade e ansiedade de se juntar forças, juntar ânimos, juntar quereres, para que a equipe possa fazer nesses cinco jogos que faltam, nessa altura com seis, nesse pequeno campeonato, faça tudo para ganhar o título. Há um título em discussão e nós vamos brigar por ele – afirmou Jesualdo.

Jesualdo Ferreira
Jesualdo Ferreira chegou, na última quarta-feira, ao seu 13º jogo à frente do Santos (Foto: Ivan Storti/Santos)


Boa parte dos atletas santistas estão há cinco meses sem receber os seus direitos de imagem. Ainda há pendências referentes aos recolhimento do FGTS, além da redução salarial de 70% aplicada pelo clube há três meses, mesmo que sem o consentimento dos jogadores.

A diretoria busca alternativas para “estancar a sangria” financeira do clube e acertar pelo menos parte dessas pendências até o fim de julho, contudo uma ala da gestão, incluindo o presidente José Carlos Peres, acreditam que isso só será possível, caso algum atleta seja negociado. Alvo do Benfica, o zagueiro Lucas Veríssimo é o principal cotado para deixar o clube.