Dodô selo VAIVÉM

Dodô é monitorado por outros clubes da Série A e ainda não resolveu sua situação (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Ana Canhedo
26/12/2018
06:00
São Paulo (SP)

O Santos prioriza no mercado a contratação de um atacante para substituir Gabriel, mas o problema pode ser mesmo em outro setor do time: a lateral esquerda. Dodô ainda não respondeu ao clube se aceitará ou não o proposto para deixar a Sampdoria, da Itália, e ficar definitivamente no Alvinegro. Seus reservas imediatos no elenco não empolgam. O Peixe tem a prioridade na compra do jogador de 26 anos até o dia 31 deste mês.

Caso Dodô não aceite o contrato proposto pelo Santos, a lateral esquerda terá como opções Romário e Orinho, ambos passaram 2018 emprestados a outros clubes e não empolgaram quando tiveram chances no Peixe. O atacante Copete é outro que pode ser improvisado no setor. O "drama" alvinegro pode obrigar Jorge Sampaoli a experimentar uma formação com três zagueiros ao invés da convencional linha de quatro defensores. 

A situação de Dodô se arrasta desde antes do término do Campeonato Brasileiro. O lateral está emprestado pelo time italiano, que arca também com parte de seu salário. Para assinar contrato com o Santos, o ala precisará abrir mão de um salário europeu e se adequar aos padrões brasileiros.  

O presidente José Carlos Peres assegurou que falta apenas o aval do jogador para que o contrato seja assinado. De acordo com o mandatário, Santos e Sampdoria estão acertados há meses a respeito da venda do jogador - o valor fixado em contrato é pouco superior a R$ 7 milhões. Outros clubes do cenário nacional monitoram a situação, como o Cruzeiro e Flamengo. 

Foram 53 jogos disputados na temporada de 2018 e a titularidade assegurada durante todo o ano. Em sua chegada, Sampaoli declarou que esperava poder contar com o jogador em 2019 para evitar problemas futuros de falta de peças no elenco. Romário e Orinho têm chances de serem emprestados.