Felipão e elenco

Palmeiras defenderá bom momento com uma escalação praticamente reserva no domingo (Foto: Cesar Greco)

Thiago Ferri
15/09/2018
07:00
São Paulo (SP)

Se vencer o Bahia neste domingo, o Palmeiras pode chegar a 49 pontos e ter depois de 25 rodadas campanha até melhor do que 2016, quando conquistou o Brasileirão. Será outro teste de força do elenco de Luiz Felipe Scolari, que deve mandar um time praticamente reserva para o jogo das 16h, na Fonte Nova.

Além de desfalques como Deyverson, suspenso, Felipão vai poupar seus titulares para o jogo de quinta-feira, contra o Colo-Colo (CHI), no Chile, pelas quartas de final da Libertadores. Assim, não deve montar o "time B" como de costume, com pelo menos três jogadores do "time A".

A tendência é de que apenas Weverton e Felipe Melo (que estará suspenso contra o Colo-Colo) comecem jogando em Salvador (BA) da equipe dos mata-matas. No ataque, Felipão ainda deve usar dois jogadores com passagem recente pelo sub-20: Artur e Papagaio.

A três pontos de Internacional e São Paulo, líder e segundo colocado, respectivamente, o Palmeiras pode na melhor das hipóteses até terminar a rodada na liderança. Para isso, precisaria vencer o Bahia e torcer por derrotas do Colorado para a Chapecoense, fora de casa, e do São Paulo para o Santos, na Vila Belmiro.

Nesta mesma etapa do Brasileiro em que acabou campeão, o Verdão sob o comando de Cuca era líder e tinha 47 pontos (14 vitórias, cinco empates e cinco derrotas). A atual campanha é bem próxima: 46 pontos (13 vitórias, sete empates e quatro derrotas), mas na terceira posição.

Na 25ª rodada de 2016, o Palmeiras empatou com o Flamengo e chegou a 48. Por isso, uma vitória no fim de semana tornaria o aproveitamento atual melhor que o do último título. Sob o comando de Felipão, a equipe já lidera o returno, com 13 pontos (quatro vitórias e um empate).

O Bahia, embora tenha dado trabalho nas quartas de final da Copa do Brasil, não vive momento tão bom na segunda metade do Brasileiro. O time de Enderson Moreira só está melhor do que o Paraná, lanterna. O Tricolor de Aço venceu uma vez e perdeu outras quatro no returno.