Palmeiras x Santos Sampaoli

Jorge Sampaoli é um dos nomes preferidos de aliados do presidente Mauricio Galiotte (Foto: Ivan Storti/Santos)

William Correia
02/12/2019
08:00
São Paulo (SP)

Na busca por um substituto para Mano Menezes, o presidente Mauricio Galiotte ouve seguidas defesas pela contratação de Jorge Sampaoli. O atual técnico do Santos já foi cotado pela diretoria para assumir o Palmeiras no ano passado e é apontado até como solução para reaproximar clube e torcida.

Há uma sensação entre os aliados do mandatário de que o argentino, que tem contrato com o Santos até dezembro de 2020, pode ser uma solução para os problemas atuais, agradando torcedores e com um estilo de jogo dentro do que o próprio dirigente indicou como "mudança do futebol" que o time precisa adaptar. É considerado experiente, inclusive, para buscar a Libertadores.

TABELA
>
Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

Quando optou pela demissão de Roger Machado, em julho do ano passado, o nome de Sampaoli foi indicado para Galiotte. Sua experiência no futebol sul-americano apareceu como trunfo, já que a equipe estava às vésperas de abrir as oitavas de final da Libertadores, diante do Cerro Porteño. Mas o presidente e o então diretor de futebol Alexandre Mattos detectaram que era necessário alguém que unisse o grupo e a opção foi por Luiz Felipe Scolari.

Agora, a chegada de Sampaoli é vista como a possibilidade de, enfim, contratar um nome pensando em um modelo de jogo. A reformulação das ideias de futebol foi um dos principais pontos na escolha por demitir Mano e Mattos. Galiotte deixou isso claro em sua entrevista coletiva no domingo, depois da derrota por 3 a 1 para o Flamengo, no Allianz Parque.

Outro ponto a favor do argentino é considerado bastante relevante para o momento: a reconexão com a torcida. Os frequentes protestos e o ambiente indicam um distanciamento que incomoda Galiotte. Um dos focos para 2020 está em reunir clube e arquibancadas. O nome de Sampaoli recebe aprovação de torcedores, com um estilo ofensivo que palmeirenses pedem, e, por isso, o treinador segue considerado uma solução.

O Palmeiras acompanha à distância as dificuldades do Santos para manter o treinador, mesmo com contrato até dezembro do ano que vem. Os indícios são de que o técnico seria liberado sem muitas complicações. O próprio clube alvinegro parece trabalhar com a possibilidade de perder o comandante.

Ao longo desta semana, o Palmeiras definirá os perfis que deseja para a diretoria de futebol. Certamente, o dirigente que chegar ouvirá bem sobre Sampaoli, e deve, ao menos, consultar as condições do argentino para assinar contrato com o Verdão.