Zé Rafael e Raphael Veiga ganharam importância no Palmeiras nas últimas três semanas

Os meias Zé Rafael e Raphael Veiga ganharam importância na equipe nas últimas três semanas (Agência Palmeiras)

William Correia
14/05/2019
08:00
São Paulo (SP)

Depois de ficar 15 dias sem jogar, enquanto ocorriam as finais do Campeonato Paulista, dois jogadores pouco utilizados pelo técnico Luiz Felipe Scolari passaram a ser frequentemente escalados no Palmeiras. Zé Rafael e Raphael Veiga tiveram mais oportunidades nas últimas três semanas do que em todo o restante da temporada.

Até a vitória por 3 a 0 sobre o Junior Barranquilla, em 10 de abril, último jogo antes da parada de 15 dias, Zé Rafael esteve em apenas cinco das 20 partidas do clube no ano, sendo quatro como titular, acumulando 330 minutos em campo. Desde a goleada por 4 a 0 sobre o Melgar, no último dia 25, compromisso seguinte ao período sem partidas, o camisa 8 esteve em cinco dos seis jogos do time, sendo quatro como titular, com 397 minutos atuando.

Já Raphael Veiga teve uma comprovação ainda maior do crescimento de sua importância. Nos três primeiros meses do ano, atuou em cinco das 20 partidas do clube até então, sendo duas como titular, com 213 minutos em campo. Nos últimos seis jogos, atuou menos vezes (quatro), mas mais como titular (três), quase igualando seu período em campo: foram 212 minutos.

Os dois meias estavam entre os nomes mais pedidos pelos torcedores no começo da temporada, e a ascensão deles chega no momento de contusões de Ricardo Goulart, que operou o joelho direito e só deve voltar a jogar no segundo semestre, e Gustavo Scarpa, que tem lesão na perna direita que já o deixou fora no domingo. Mas ambos superaram concorrentes que ganhavam mais chance no setor ofensivo, como Lucas Lima, Carlos Eduardo e Felipe Pires.

Mas Zé Rafael já vinha ganhando espaço antes mesmo da parada de 15 dias sem jogos. Inclusive, foi titular contra o Junior Barranquilla, último compromisso antes desse período, e manteve a condição na partida após esse período, na goleada sobre o Melgar. Nos dois casos, Ricardo Goulart tinha sido poupado, o que já colocava o camisa 8 como seu substituto imediato.

Quando Ricardo Goulart se machucou, saindo aos sete minutos do jogo contra o Fortaleza, Zé Rafael o substituiu, fazendo dois gols e dando uma assistência no triunfo por 4 a 0. Ganhou tanto a posição que foi poupado ao lado dos titulares da rodada seguinte, contra o CSA, e iniciou os três jogos seguintes.

Raphael Veiga teve uma verdadeira reviravolta. Recebeu duas chances como titular na primeira fase do Paulista, mas chegou a ser cortado do mata-mata do Estadual. Porém, depois dos 15 dias sem jogos, ganhou a condição de ser, inicialmente, o substituto de Gustavo Scarpa. Ganhou vaga desde o início quando o camisa 14 foi poupado contra CSA e San Lorenzo e, no domingo, contra o Atlético-MG, no primeiro jogo sem Scarpa, também atuou como titular.

Líder do Campeonato Brasileiro depois de bater o Atlético-MG por 2 a 0, no Mineirão, no domingo, o Palmeiras teve folga na segunda-feira e se reapresenta na tarde desta terça-feira. Começa a se preparar para enfrentar o Santos, segundo colocado do torneio nacional, no sábado, no Pacaembu. Provavelmente, com Zé Rafael e Raphael Veiga entre os titulares de novo.