Felipe Melo admira a capacidade de Ricardo Goulart balançar as redes

Felipe Melo admira a capacidade de Ricardo Goulart fazer gols frequentemente (Agência Palmeiras/Divulgação)

William Correia
01/03/2019
19:02
São Paulo (SP)

Em seu primeiro jogo como titular no Palmeiras, Ricardo Goulart fez dois gols e deu uma assistência na vitória por 3 a 2 sobre o Ituano, na quarta-feira. E mostrou uma capacidade de balançar as redes que despertou admiração em Felipe Melo, autor de cinco gols em 96 partidas pelo clube.

- Demonstrou que é um cara que fede a gol. Isso é importante para caramba. Fiquei tanto tempo sem fazer um golzinho, queria feder a gol dessa maneira também. Ele será muito importante. Além de grande pessoa, é um grande jogador e profissional - brincou o volante, que admitiu não ter acompanhado muito a carreira do novo camisa 11 do Verdão, de volta ao Brasil após quatro anos no futebol chinês.

- O Ricardo é um cara que, confesso, como saí muito cedo, não acompanhei muito a trajetória no Brasil. Sei que ganhou muito no Cruzeiro, por onde também passei e venci, mas não o pude analisar como jogador, como gosto muito de fazer. Eu tinha visto alguns vídeos e comecei a vê-lo nos treinos. É um cara que vai nos ajudar e agregar muito porque é um vencedor na carreira, venceu nos clubes que passou, está acostumado a vencer.

Essa "mania" de vencer é um trunfo que Felipe Melo também cita para si mesmo. O jogador, que completará 36 anos em junho, inicia sua terceira temporada no Palmeiras, a última do contrato vigente, e aponta o currículo como um diferencial que ajuda a equipe.

- Agrego como um jogador que venceu bastante troféu, isso é importante para o time. Você olha para o lado e vê o Dracena, que venceu tantos troféus, e pensa 'caramba, isso é importante'. Vejo grandes clubes, e não só no Brasil, mas no mundo, que, de repente, não tem um elenco tão vencedor e isso faz a diferença no final. É aquela fome de vencer. Tenho agregado isso durante esses três anos - indicou, colocando-se como líder do elenco.

- Assim como alguns outros jogadores, sou um líder do Palmeiras. É claro que a experiência é automática, pela idade, clubes que joguei, países onde passei, competições que disputei. Assim como Edu Dracena, Prass e outros grandes jogadores que agregam muito aqui com experiência.