Navarro e Rony - Palmeiras x Ind. Petrolero

Navarro e Rony têm semelhanças na relação com a competição continental (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Alexandre Guariglia
13/04/2022
13:58
São Paulo (SP)

A noite da última terça-feira foi mágica para o Palmeiras, mas foi ainda mais significativa para Rafael Navarro, que fez quatro gols na goleada por 8 a 1 sobre o Independiente Petrolero-BOL, pela fase de grupos da Libertadores. Criticado por parte da torcida e cobrado por melhor rendimento, o atacante pode ter no torneio o "trampolim" que seu companheiro Rony aproveitou para crescer.

GALERIA
> Veja os clubes do Brasileirão que mais se reforçaram desde janeiro

TABELA
> Veja classificação e simulador da Libertadores-2022 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Se compararmos minuciosamente os casos, veremos que há muitas diferenças, é claro, mas a instabilidade no começo de trabalho no Verdão é muito parecida. Aliás, se falarmos de Libertadores, a história aparenta ser bastante igual. Ambos fizeram seus primeiros gols com a camisa do clube justamente na competição continental, resta ao centroavante seguir os passos do colega.

Rony foi contratado em 2020 e chegou como o principal reforço daquele ano, principalmente pelo que ele havia feito no Athletico-PR, campeão da Copa do Brasil-2019. No entanto, o início não foi fácil. As atuações não eram boas, os gols não saíam e o banco de reservas era uma realidade. Foi preciso passar a paralisação por conta da pandemia de coronavírus e 23 jogos para que o atual camisa 10 marcasse seu primeiro tento, diante do Bolívar-BOL, pela Liberta.

Isso aconteceu no dia 30 de setembro de 2020 e de lá para cá Rony desencantou a ponto de ser importante no bicampeonato consecutivo da Libertadores e de marcar 12 gols ao todo pela competição, se tornando, ao lado de Alex, o maior artilheiro palmeirense no torneio continental. Para o atacante, foi um trampolim para seu sucesso e entrar na história do clube.

Rafael Navarro chegou ao Verdão em um contexto diferente. Após se destacar no Botafogo, atuando na segunda divisão, ele foi contratado como uma aposta, mas para uma posição que já acumulava uma cobrança por resultados. Sem um nome mais forte para "a 9", o jovem acabou visto como uma solução. E sabemos, entrar com esse peso em um time multicampeão é cruel demais.

O centroavante alviverde precisou de 12 partidas até marcar seu primeiro gol. Nesse meio tempo acumulou pênalti e chances perdidas, tendo também a oportunidade de disputar a final do Mundial de Clubes contra o Chelsea. Tudo bem que ele também levou dois títulos no período: Recopa e Paulistão, mas gol mesmo foi apenas contra o Táchira, pela Libertadores, aliás, foram logo dois.

Em seguida, Navarro passou em branco na estreia pelo Brasileirão-2022, mas mostrou sua química com competição continental e marcou quatro vezes diante do Independiente Petrolero-BOL, somando seis tentos no total para se tornar o atual artilheiro do torneio até o momento. Foram os primeiros dois jogos do garoto de 21 anos na Libertadores, nos quais ele atuou por 135 minutos (sem contar acréscimos), ou seja, marcou um gol a cada 22 minutos.

Difícil prever que o futuro de Navarro é o mesmo de Rony dentro do clube, mas a amostra é bem positiva para ser levada em consideração como mudança de patamar e de confiança. O camisa 10, por exemplo, fez mais gols na Libertadores do que em qualquer outra competição pelo Palmeiras. Se seguir esse caminho, talvez o clube tenha encontrado o sonhado centroavante.

Números citados no texto acima:

Rony
Jogos até marcar o primeiro gol pelo Palmeiras: 23

Rafael Navarro
Jogos até marcar o primeiro gol pelo Palmeiras: 12

Gols de Rony pelo Palmeiras (28 no total)
​12 pela Libertadores
9 pelo Brasileirão
​5 pelo Paulistão
1 pela Copa do Brasil
1 pela Recopa

Gols de Rafael Navarro pelo Palmeiras (6 no total)
6 pela Libertadores (1 gol a cada 22 minutos em campo)