Minas venceu o Praia Clube e ficou com o título da Superliga feminina (Foto: Wander Roberto/Inovafoto)

Minas venceu o Praia Clube e ficou com o título da Superliga feminina (Foto: Wander Roberto/Inovafoto)

Web Vôlei
30/04/2022
01:43
Brasília (DF)

O Itambé/Minas perdeu cinco jogos para o Dentil/Praia Clube no início da temporada. E deixou para vencer o maior rival justamente nos dois jogos mais importantes: na final da Superliga 1xBET Feminina de Vôlei. Jogando com segurança e personalidade, as minastenistas venceram por 3 sets a 1, repetindo o placar do primeiro confronto da série melhor de três – com parciais de 26-24, 18-25, 25-15, 25-17 -, diante de 9.120 torcedores no ginásio Nilson Nelson, em Brasília (DF), na noite desta sexta-feira.

+ Nadador do Botafogo, patrocinado pela Xuxa e torcedor do Flamengo: a ligação de Arthur Aguiar com esporte

Foi o terceiro título consecutivo de Superliga do Minas (2018/20, 2020/21 e 2021/22), o quarto da sua história – levantou a taça em 2001/02 e o quinto brasileiro – foi campeão em 1991/92, quando o campeonato tinha outro nome.

O Praia buscava o seu segundo título de Superliga – foi campeão em 2017/2018. Nesta temporada, venceu o Minas em três finais e foi campeão mineiro, do Sul-Americano e da Supercopa. A Copa Brasil 2022 foi vencida pelo Sesi Bauru. Minas e Praia vão se encontrar novamente no Sul-Americano, em maio, em Uberlândia.

Kisy foi a maior pontuadora do jogo, com 22 pontos. Jineiry e Thaisa marcaram 19 cada uma.

– A sensação é maravilhosa. Todo mundo sabe a dificuldade que foi a nossa temporada – disse Kisy, que disputou sua primeira final e assumiu a posição de titular nos playoffs depois da lesão da norte-americana Dani Cuttino.

– Foram muitos casos de covid, lesão mas a equipe soube jogar como um grupo nessa reta final – disse Pri Daroit!

– Foi um esforço diário para chegar até aqui. Meu coração é do Minas – disse a levantadora Macris, que se despede do clube mineiro nesta temporada para defender o Fenerbahce, da Turquia.

A partida marcou a última Superliga da campeã olímpica Walewska. A central, no entanto, ainda vai jogar o Sul-Americano, mês que vem.

O Minas virou o primeiro set no finalzinho. A equipe de Uberlândia chegou a abrir 5 pontos de vantagem (10 a 5), sacando bem e tirando a bola da mão da Macris. O time da capital mostrava sinais de nervosismo, sentindo a ansiedade por ser um jogo me que poderia ser campeão. A equipe do técnico Paulo Coco ganhava por 21 a 19, depois 23 a 21, mas na reta final o Minas acertou o passe e o contra-ataque com Ozsoy para virar em 26 a 24.

Paulo Coco tirou Anne, que deixou o primeiro set zerada, e colocou Tainara em quadra. O Praia ganhou potência no ataque conseguiu marcar bem Ozsoy, bola de segurança de Macris. Depois de um pedido de tempo, Thaisa pediu para a levantadora a colocar no jogo e ela atendeu. O Minas perdia por uma diferença grande, mas na reta final, Macris acionou bem a sua central bicampeã olímpica e Thaisa entrou na partida de vez.

O Minas voltou melhor no terceiro set, com o passe mais ajustado e Macris jogando mais com Thaisa. Com Neri bem marcada, Kisy assumiu o protagonismo das bolas altas. A turca varria o chão, assim como Léia, em outra grande atuação.

O Praia passou a jogar muito pelas pontas, tornando o jogo previsível. O resultado foi um show de bloqueios por parte do Minas. Paulo Coco tentou de tudo. Voltou com Anne no quarto set, depois retornou com Tainara, mas as mineiras da capital, embora ainda não contando com um passe perfeito, jogavam com velocidade com Macris pelo meio

Na quarta parcial, o Minas abriu cinco pontos no início, conseguindo anular bem as ponteiras de Uberlândia e manteve a boa frente até o final. A torcida do Minas agora se prepara para torcer pelo time masculino. Neste domingo, às 10h, em Uberlândia, o Fiat Gerdau Minas precisa vencer o Sada Cruzeiro para seguir vivo e forçar o terceiro confronto. O time celeste venceu o primeiro confronto por 3 a 2 e pode ser heptacampeão da Superliga.

Dentil/Praia Clube: Claudinha, Brayelin Martinez, Anne Buijs, Kasiely, Jineiry Martinez, Carol e Suelen (líbero). Entraram: Jú Perdigão (líbero), Lyara, Tainara, Ariane e Vanessa Janke. Técnico: Paulo Coco.

Itambé/Minas: Macris, Kisy, Neri Ozsoy, Pri Daroit, Thaísa, Carol Gattaz e Léia (líbero). Entraram: Pri Souza, Pri Heldes, Júlia Kudiess. Técnico: Nicola Negro.