Tour de France 2020

Etapa de sábado promete (Tour de France 2020)

Fernando Moyna
12/09/2020
08:55
BLOG SOLTANDO O FREIO

A etapa de sexta-feira da Volta da França já foi dura desde a largada. Vários tentando entrar na fuga e a equipe Jumbo tentando controlar dentro do possível. Nas primeiras 2 horas, da fuga até o pelotão, estava todo mundo fazendo careta de esforço. A partir daí foram duas provas: da fuga para a vitória da etapa e dos favoritos para camisa amarela.

A fuga se formou com cinco ciclistas na 1ª montanha “categoria 1” e quase 20 no 2º grupo logo atrás. Equipe Jumbo finalmente se conformou e diminuiu o ritmo dando quase 10 minutos para a fuga.

Equipe Bora vem fazendo muita diferença em quase todas as etapas e na penúltima montanha Schachmann atacou para se livrar dos bons escaladores da fuga inclusive Alaphilippe. Equipe EF ainda tinha 3 na fuga e Martinez não demorou a responder. Kamna, também da Bora, o seguiu e estava armado a melhor situação para equipe Bora. Schachmann lá na frente e o Kamna de roda do Martinez caso conseguissem fazer a ponte com o Schachmann. É, mas o Martinez, muito confiante, não quis saber e encarou os 2 com muita determinação. Schachmann foi pego a 1,5km da chegada e a partir daí ninguém conseguia saber quem dos 2 ainda tinha pernas para a definição. Faltando apenas 150m é que o Kamna lançou seu ataque, mas Martinez cobriu a 50m da chegada e batendo os 2 da equipe Bora. Sensacional!

Lá atrás o ritmo só apertou quando a equipe Ineos foi para frente e começou a queimar gregários na penúltima montanha. Quando foi a vez do Kwiatkoski é que realmente o pelotão dos favoritos afinou e alguns GCs começaram a botar a "seta para direita". G. Martin, Bardet (que tinha caído na etapa), a maioria dos gregários de todas as equipes e o grupo ficou com apenas 10. Chegou a vez do Carapaz e ele atacou. Dumoulin com até certa facilidade neutralizou. Em seguida foi a vez do Pogacar começar a apertar o passo e só o Roglic conseguiu responder. Logo atrás Landa, Superman Lopez, Bernal e Porte formaram um grupo sofrendo, mas mantendo uma distância curta. A diferença só foi aumentando e de todos o Porte(!) foi o que pareceu melhor. Bernal foi ficando e cada vez mais com a cara de muito sofrimento.

No final a dupla de eslovenos conseguiu só 13s em cima do Porte, Landa e Lopez. Bernal perdeu +35s para os eslovenos e agora acumula 59s para o Roglic na 3ª posição. Roglic e Pogacar fizeram a última montanha 1m02s mais rápido que o vencedor da etapa. Agora os que parecem ter possibilidade de lutar pelo pódio estão no top 8 e dentro de uma diferença de 2m06s.

Bernal:

- Eu olhei meus # da etapa de hoje e eram quase os meus melhores # da vida. Eles simplesmente foram mais rápidos. É a 2ª vez que escuto um ciclista dizer que estava usando # iguais ou melhores que em Tour passados. Esses eslovenos estão um nível acima de alguma maneira.

Não parece promissor e até um chororô, mas nas próximas etapas é onde estão as longas montanhas com altitude que podem fazer a diferença a seu favor.

O “ninja” na disputa da camisa amarela, aquele que ninguém vê na frente e continua ganhando posições, é o Uran. Subiu de 6º para 4º na geral. Landa me parece forte e como Bernal esperando as longas montanhas. Até o Landa em 8º me parece que estão os que brigam pelo pódio.

Depois de um dia tão duro para todo mundo a etapa de hoje a maioria ficará feliz se uma fuga pequena sair sem favoritos para não terem que perseguir. No menu serão 194km e 2.646m de altimetria. Serão 5 montanhas categorizadas, mas a mais dura será um “categoria 2” (11,9km-5,3%) ainda no começo da etapa. O restante serão nada mais que calombos e isso indica que amanhã será a última chance do Sagan para tentar isolar o Bennett e coletar os pontos da camisa verde sem ele na disputa. Pena que o sprint intermediário vem logo com 37km da etapa e até lá será Bora x Deceuninck. Essas 2 equipes é que tentarão controlar a fuga na frente do pelotão para dar a chance de seus sprinters lutar pelos pontos da camisa verde. Bora tentando acelerar e Deceuninck tentando diminuir. Bennett chegou os 2 últimos dias liquidado e certamente não passou desapercebido.

Logo depois do sprint intermediário vem o “categoria 2” e esse será o ponto mais importante da etapa, pois se a equipe Bora do Sagan conseguir isolar o S. Bennett eles irão acelerar com tudo. Aí a etapa ficará interessante e até a equipe Deceuninck pode mudar os planos e colocar na fuga Asgreen ou Cavagna para tentar a vitória da etapa e roubar os pontos da camisa verde do Sagan.

Equipe Sunweb com certeza irá de novo para etapa, mas assim como outros oportunistas tentarão se aproveitar desse duelo para tentar furar esse bloqueio.

Já quanto às equipes que lutam pela camisa amarela deverão somente patrulhar a frente do pelotão só para tentar deixar seus capitães seguros. Não há nenhum lugar mais seguro que na ponta do pelotão. Etapa de domingo é bem difícil e eles tentarão gastar o mínimo possível de energias.

A chegada em Lyon é complicada, com pequenas subidas descidas em zigue-zagues a 5km e será tenso se a fuga for pega e vier para o sprint.

Muitas táticas e um final tenso. Boa receita para o almoço de sábado.