Ítalo Ferreira - Jogos Mundiais

Italo Ferreira foi direto do aeroporto para o mar e avançou nos Jogos Mundiais (Foto: ISA / Pablo Jimenez)

LANCE!
10/09/2019
15:07
Miyazaki (JAP)

O brasileiro Italo Ferreira viveu uma das maiores aventuras de sua carreira nesta terça-feira, na estreia nos Jogos Mundiais da Associação Internacional de Surfe (ISA, em inglês), em Miyazaki (JAP). Após ter seu passaporte furtado na semana passada, nos Estados Unidos, e se atrasar devido a um furação no país do evento, o surfista foi direto do aeroporto para o mar, iniciou a bateria a nove minutos do fim e, mesmo assim, saiu vencedor.

Italo nem sequer trocou o short jeans que vestia quando chegou à praia de Kisakihama. Pegou uma prancha emprestada do compatriota Filipe Toledo, que havia se classificado mais cedo, vestiu a lycra, caiu na água para a sexta bateria e virou o confronto contra o argentino Leandro Usuna, que liderava, o mexicano Dylan Southworth e o norueguês Frode Goa, para avançar à segunda rodada.

O potiguar conseguiu a maior nota da prova, um 8,33, no último minuto, e encerrou com 13,46. Usuna somou 12,60, enquanto Southworth totalizou 11,34 e Goa terminou em último, com 3,13. 

– Foi uma missão! Quando eu pousei, fui correndo do aeroporto para a competição e não tive tempo de pegar a bagagem. Quando eu cheguei, a minha bateria já estava acontecendo e eu precisava de 12 pontos para ficar em primeiro. Faltando um minuto, eu fiz a melhor nota, surfando com a prancha do Filipe e de bermuda jeans. Deu certo. Foi uma loucura! – disse Ítalo, ao "GloboEsporte".

O atraso aconteceu devido a um pouso forçado do avião em Nagasaki, após tufões fecharem o espaço aéreo em Tóquio, onde ele desembarcaria. Foi só um dos imprevistos que o surfista enfrentou nos últimos dias.

Italo foi furtado em Los Angeles e precisou fazer um passaporte de emergência, bem como novos vistos do Japão e dos Estados Unidos, onde disputará uma etapa do Circuito Mundial na semana que vem. Sem conseguir a documentação americana a tempo, o atleta deixou o país para não perder os Jogos Mundiais.

Embora o evento da ISA deste ano não classifique para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, os atletas que almejam a elegibilidade para o megaevento precisam disputá-lo, por determinação da entidade máxima do surfe mundial. Hoje, Italo é o sexto colocado no ranking da Liga Mundial de Surfe (WSL) e não estaria na Olimpíada. Filipe Toledo (1º) e Gabriel Medina (4º) seriam os dois representantes do país no masculino.

No feminino, Silvana Lima ficou com o vice-campeonato, após somar 12,77 na bateria decisiva. Com 13,80 pontos, a peruana Sofia Mulanovich faturou o ouro. A sul-africana Bianca Buitendag (12,64) faturou o bronze. A brasileira Tatiana Weston-Webb terminou em quinto lugar.

"Estou superfeliz por ter representado meu país, esse evento foi incrível! Fiquei em segundo lugar, muito feliz, agradeço a Deus por tudo e a todos da minha torcida. Meus parabéns pra Sofia Mulanovic e às outras meninas que também arrebentaram no surfe", escreveu Silvana, no Instagram.