Rune Andersen

Rune Andersen, chefe da força-tarefa de doping da Iaaf, disse que a Rússia ainda não cumpriu exigências (Foto: AFP)

LANCE!
11/03/2019
15:14
Rio de Janeiro (RJ)

A Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf) anunciou nesta segunda-feira a prorrogação da suspensão da Rússia das competições mundiais. Foi a décima vez que o órgão manteve a pena, aplicada em novembro de 2015, devido aos indícios de um esquema de doping com apoio governamental no país. A medida foi tomada durante as reuniões do Conselho da entidade máxima do atletismo, em Doha, no Qatar.

A Iaaf solicitou uma reunião em caráter de urgência com a Federação Russa de Atletismo (Rusaf), após o chefe da força-tarefa de doping da entidade mundial, Rune Andersen, afirmar que a Rússia ainda não cumpriu todas as exigências para ter sua situação regularizada. 

A Iaaf informou que há duas pendências que motivaram a manutenção da pena. Uma é o não pagamento de uma indenização financeira pelas investigações. A outra diz respeito à não liberação de análises e amostras do laboratório de Moscou para determinar quais atletas têm casos a responder. Os dados são autenticados pela Agência Mundial Antidoping (Wada).

Outro fato apontado por Andersen foi que a emissora ARD, da Alemanha, mostrou que o ex-técnico da equipe russa de atletismo, Valentin Maslakov, que renunciou no auge do escândalo de doping há quatro anos, continua envolvido no sistema russo.

– A Força-Tarefa tomou nota das alegações da emissora ARD (da Alemanha) de que alguns técnicos do antigo regime estão novamente envolvidos no treinamento de atletas da equipe nacional. Isso vai contra as garantias que a Força-Tarefa recebeu anteriormente da Rusaf de que está se desassociando do antigo regime. A Força-Tarefa, portanto, escreveu hoje à RusAF e pediu esclarecimentos – afirmou Andersen.

A participação dos russos, portanto, segue indefinida para o Campeonato Mundial deste ano, em Doha, entre os dias 26 de setembro a 8 de outubro.

A Iaaf é a única grande entidade esportiva que não retirou a suspensão dos russos. Tanto a Wada quanto o Comitê Olímpico Internacional (COI) revogaram as penas aplicadas. Já o Comitê Paralímpico Internacional (IPC) informou que reintegrará os russos até sexta-feira.

As autoridades russas sempre negaram que o esquema de doping tivesse patrocínio estatal, mas reconheceram que funcionários se envolveram no fornecimento de substâncias ilícitas a atletas.