Mais um dia de emoção na Volta da França

Pogacar (de branco  à esquerda)  bateu o também esloveno Primoz Roglic (amarelo)  e levou a etapa 10 (Divulgação)

LANCE!
06/09/2020
14:14
Paris (FRA)

O Esloveno Tadej Pogacar fechou com chave de ouro o primeiro fim de semana do Tour de France. No sábado, após entrar na etapa 8 com quase dois minutos de diferença para o líder, ele escapou numa fuga e, mesmo fora do pódio, chegou à frente do pelotão da camisa amarela. Assim, levou a desvantagem para 48s, assumindo um lugar no Top10 da classificação geral. Na etapa deste domingo - de montanha, entre Pau e Laruns, 153km - ele repetiu a estratégia, escapando na fuga, e foi ainda melhor: se posicionou no grupo de cinco ciclistas que dispararam para o sprint final. Num esforço incrível nos últimos 100m, saiu do quarto para o primeiro lugar, com meia roda de vantagem para o segundo colocado Primoz Roglic (da Jumbo Visma e também esloveno).  Assim, entra de vez na briga pelo título. Já Roglic roubou a liderança de Adam Yates.

A prova

A etapa foi excelente desde o início, com um show de ataques e fugas e uma disputa insana de tática entre as duas equipes que contam com os maiores favoritos ao título: a Ineos (do atual campeão, o colombiano Egan Bernal) e a Jumbo Visma (com o esloveno Primoz Roglic, que entrou na etapa em segundo lugar, a 3s do entáo líder Adam Yates). Ambas puxaram o pelotão principal em busca dos pontos intermediários (chegadas em montanha). Isso deu muito certo, pois Roglic e Bernal ganharam bônus e, com eles já conseguiram tirar Yates do topo e jogá-lo para o terceiro lugar ainda durante a etapa.

Restando 21km para o fim, veio o momento-chave. Com Yates não conseguindo chegar no pelotão dos líderes, os seus rivais forçaram ainda mais o ataque. Nessa hora, Pogacar liderou a última fuga e levou com ele Primoz Roglic, Egan Bernal, o espanhol Mikel Landa (Bahrain) e o suíço Marc Hirschi (Sunweb). Este quinteto abriu 10s do pelotão dos demais favoritos ao título (Uran, Quintana, Guillaume, Bardet e Porte). Nos metros finais, Pogacar arrancou para o sprint final, chegando no tempo de 3h55m17s, com Roglic na sua cola em segundo lugar meia roda atrás e Hirschi em terceiro. Bernal e Landa vieram a seguir, todos ganhando o mesmo tempo do líder. Já Uran, Quintana, Guillaume, Bardet e Porte chegaram 11s atrás.

Primoz, com os bônus de tempo que ganhou pelo segundo lugar (6s) e pelo bom posicionamento na subida (15s) assumiu a liderança geral, com 38h40s01. Bernal não ganhou bônus de tempo na chegada - apenas o vencedor (10s), o vice (6s) e o terceiro (2s) levam - mas a estratégia da Ineos durante a prova garantiu 21s de bônus e ele passou para o segundo lugar, 21s atrás do líder.

Guillaume Martin (francês da Cofidis) está em terceiro, 28s atrás. completam o Top 6 o francês Romain Bardet (AG2R, 30s atrás do lider) e os colombianos Nairo Quintana (Arkea) e Rigoberto Uran (EF), ambos com 32s de décicit para Roglic.

Tadej ganhou mais duas posições e pulou para sétimo, 44s atrás de seu compatriota Roglic. O lider Yates caiu para oitavo, 1m02s de déficit para o ponteiro.

Disputa pela camisa verde


Na briga pela camisa verde (por pontos, a disputa entre os velocistas) ninguém pontuou e asim o top3 não sofreu alterações. Perer Sagan (eslovaco da Bora) lidera com 138 pontos e busca o seu oitavo titulo por ponjtos do Tour. Sam Bennet (irlandês d Quick Step) está logo atrás co 131 pontos e Wout Van Aert (belga da Jumbo Visma) é o terceiro com 111.

Vale destacar que Sagan venceu sete das oito últimas edições e este ano que ele não venceu (2017), o eslovaco liderava até ser desclassificado por ter atrapalhado um rival numa chegada de etapa.

Etapa 10 será na terça-feira

Nesta segunda-feira, os ciclistas ganham um dia de folga e a etapa 10 ocorrerá apenas na terça-feira, entre Oleron e San Martin, de 168km. É uma das provas mais planas do tour, o que significa que todos deverão chegar no memo tempo do vencedor e não ocorrerá mudança na classificação geral (por tempo, camisa amarela). Já entre a turma da camisa verde, previsão de disputa insana entre Wout van Aert, Peter Sagan, Alexander Kristoff, Caleb Ewan, Sam Bennett, Elia Viviani. Tudo leva a crer que o final será imperdível, com o vencedor levando por centímetros e possibilidade de mudança na liderança.