Meg Rodrigues

Meg Rodrigues é medalhista de ouro nos Jogos Parapan-Americanos de Lima (Foto: Divulgação)

Jonas Moura
25/08/2019
16:22
Enviado Especial a Lima (PER)*

O domingo foi dourado para o judô do Brasil nos Jogos Parapan-Americanos de Lima. A Seleção encerrou a participação no evento com seis medalhas, sendo três de ouro, duas de prata e uma de bronze, e chegou a onze, somadas às cinco do último sábado. Com isso, superou as sete de Toronto-2015, quando foram conquistados dois ouros, duas pratas e três bronzes. 

Na categoria até 73kg, Luan Pimentel venceu por ippon no argentino Rodolfo Ramírez, com apenas 28 segundos, e ficou com o título. Após a confirmação da vitória, o brasileiro lembrou do início no esporte. 

- Eu sou uma pessoa privilegiada. A minha família me ajudou muito na auto-estima, para eu ter autonomia na minha vida. Eu sou do interior do Mato Grosso do Sul e lá não tinha judô até 2013. Eu já fazia jiu-jitsu e gosto muito da arte marcial. Agradeço por isso fazer parte da minha vida. Espero inspirar alguém - disse Luan.

Quem também foi rápida na final e com um ippon, foi Meg Rodrigues (+70kg), que bateu a norte-americana Katie Davis. A judoca revelou que a luta mais difícil foi contra a brasileira Rebeca Silva.

- A Rebeca Silva foi a minha luta mais difícil. Tivemos encontros em várias competições e como treinamentos juntas em São Paulo, já nos conhecemos bem. Estou muito feliz com o meu desempenho, consegui sentir as vibrações da minha torcida lá de Maringá/PR.

O outro ouro do dia foi de Lucia Araujo (até 57kg), que venceu a argentina Laura González. Rebeca Silva (acima de 70kg), foi derrotada pela venezuelana Danitza Sanabria e ficou com a prata. O mesmo resultado foi obtido por Alana Maldonado (até 70kg). Já Harlley Pereira (até 81kg) ficou com o bronze. 

No sábado, o Brasil havia alcançado o pódio cinco vezes, com Giulia Pereira (52kg), Arthur Silva (90kg), Antônio Tenorio (+100kg), Karla Cardoso (52kg) e Thiego Marques (60kg).

O Brasil também conseguiu bons resultados na natação. José Luiz Perdigão e Regiane Nunes conquistaram a prata. O brasileiro foi o vice-campeão nos 100m costas categoria S11. O argentino Sergio Zayas foi o primeiro colocado. Na versão feminina da prova, Matilde Alcázar, do México, ficou com o título, seguida pela brasileira. 

* O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)