Seleção brasileira feminina de ginástica no Mundial 2018

Disputas continuam neste domingo e definirão se Flavinha avança ou não para a decisão do individual (Foto: CBG)

LANCE!
28/10/2018
12:42
Doha (CAT)

No primeiro dia de disputas do Mundial de Ginástica Artística em Doha, no Catar, as representantes do Brasil na categoria feminina tiveram um bom desempenho e chegaram à quinta colocação, garantindo vaga na final pela primeira vez desde 2007. Além disso, Jade Barbosa e Flavia Saraiva conseguiram obter a pontuação necessária com a soma de todos os resultados e estão asseguradas na final do individual geral. A decisão acontece nesta terça-feira.

- Eu estou muito feliz, o Brasil está melhorando mais. Mesmo sem competir tão bem, tivemos alguns erros, que podem ser melhorados na final. Há espaço para crescer. Estamos treinando muito, melhoramos nos últimos dois anos. Brasil está chegando onde a gente quer - disse Flavia, que ficou na quinta colocação no solo e garantiu um lugar na final do aparelho.

Com os resultados obtidos neste domingo, Flavia chegou ao décimo lugar, com 53.999 pontos e tem sua classificação assegurada para a disputa do individual geral. Jade está um pouco mais abaixo, na 20º posição, com 52.733 pontos, mas também garantiu uma vaga, já que a final conta com 24 atletas, com limite de dois por país. Apesar da dificuldade que a equipe terá pela frente na disputa por medalhas, Jade mantém a confiança e reitera a importância de as atletas realizarem um bom trabalho na competição. 

- A gente está ciente que precisamos trabalhar. Para esse Mundial é importante, até para se certificar que estamos no trabalho certo. Estamos no caminho certo. Se for pensar no final por equipes, são três ginastas e contam a nota de três. É uma competição mais rígida, uma responsabilidade ainda maior. Fico feliz de, em um ano que não é pré olímpico, a gente já está nesse tipo de preparação – disse.

O Brasil iniciou a disputa no salto e obteve bons resultados com Rebeca Andrade (14.566), Jade (14.500) e Flavia Saraiva (14.466). Em apresentações destacadas e com poucos erros, elas quase não tiveram descontos de pontos. A nota mais baixa foi a de Thaís Fidelis, que fechou com 13.533, mas também conseguiu realizar um bom salto.

Nas barras assimétricas, modalidade que tem se mostrado ser uma das mais complicadas para o Brasil, a seleção não teve queda, mas acabou sendo prejudicada por alguns erros. A melhor pontuação foi a de Rebeca Andrade, que atingiu 14.333. Ela foi seguida por Flavia, que tocou o pé em uma das barras e obteve 12.400, nota que foi descartada. A pontuação brasileira foi completada por Jade, com 13.333, e Lorrane, que fechou com 13.166.

Se a equipe conseguiu superar de forma razoável o desafio nas barras assimétricas, na trave, a pontuação abaixou. A maior nota do Brasil foi com Flavia Saraiva, que tirou 13.233 e sofreu descontos pela falta de equilíbrio em alguns momentos. Rebeca Andrade caiu e fechou com 12.633; Lorrane anotou 12.066 e Jade obteve a menor nota, 11.700, após também sofrer queda.

Havia uma grande expectativa para a apresentação das brasileiras no solo durante as disputas deste domingo e foi na modalidade que as meninas mais se destacaram. Flavia Saraiva teve um bom desempenho e ficou com nota 13.900, que lhe garantiu no sexto lugar. Agora, a ginasta aguarda o encerramento da fase eliminatória para saber se conseguirá avançar para a decisão. Jade fechou com 13.200, Thais fez 13.133 e Lorrane marcou 13.033.

Nesta segunda-feira, será dada a largada das disputas finais, com a categoria masculina. Na terça é a vez do time feminino decidir. O individual será disputado entre quarta-feira e domingo.