Robson Conceição

Robson Conceição perdeu a luta por decisão e reclamou do resultado (Foto: Divulgação Top Rank)

TATAME
11/09/2021
12:18
Arizona (EUA)

Na noite da última sexta-feira (10), no Casino del Sol, em Tucson, Arizona (EUA), a Top Rank promoveu uma disputa de cinturão mundial de Boxe envolvendo o mexicano Óscar Valdez e o brasileiro Robson Conceição. E após 12 rounds bem disputados, Valdez foi declarado vencedor por unanimidade dos jurados – em decisão controversa para alguns – e manteve o título super-pena do WBC (Conselho Mundial de Boxe) em sua posse.

Campeão olímpico nos Jogos Rio 2016, Robson começou a luta tomando a iniciativa e dominando o centro do ringue. Até o quinto assalto, o brasileiro demonstrou superioridade e desferiu os melhores golpes, muitos jabs.

A partir do sexto assalto, porém, o campeão foi entrando no duelo, e no sétimo round, conectou um potente cruzado em Robson. O baiano voltou mais ligado no oitavo assalto e manteve a distância, mas na parcial seguinte, acabou punido por 1 ponto após acertar um golpe na nuca de Valdez. Vale citar que, pouco tempo depois, o mexicano também acertou a nuca do brasileiro, mas não recebeu nenhuma a penalização.

Ciente da desvantagem no início do confronto, Óscar foi com tudo nos últimos rounds, quando Conceição já apresentava certo cansaço. Apostando na esquiva, o brasileiro viu seu adversário crescer apoiado pela torcida local e conectar os socos mais potentes. No fim, um jurado anotou 117-110, enquanto outros dois marcaram 115-112, todos a favor do mexicano, que em decisão unânime questionável, ficou com a vitória.

Com o resultado, além de manter o título super-pena do WBC, Óscar Valdez ainda vingou o revés sofrido para Robson durante o Pan Americano de 2009, disputado na Cidade do México – ele aumentou seu cartel invicto para 30 triunfos (23 nocautes). Em entrevista após a luta, o campeão ainda cutucou Robson Conceição, que estava inconformado com o resultado. Do outro lado do ringue, o baiano apenas sorriu em tom irônico. Antes invicto – com 16 vitórias -, ele conheceu sua primeira derrota como profissional.

Atualmente aos 32 anos, Robson, vale lembrar, perdeu a chance de se tornar o sétimo pugilista brasileiro a ostentar um cinturão de uma das quatro principais entidades do Boxe mundial. Éder Jofre, Miguel de Oliveira, Acelino Popó, Waldermir Sertão, Rose Volante e Patrick Teixeira integram a renomada lista.