Klauss Câmara

Lucas Uebel/Grêmio

Futebol Latino
05/10/2020
15:54
Porto Alegre (RS)

Uma das consequências internas no Grêmio na época que a equipe estava com sérios problemas na Libertadores após perder no Chile por 2 a 0 para a Universidad Católica foi a saída do executivo de futebol, Klauss Câmara.

E, falando pela primeira vez publicamente após deixar o cargo gerencial no clube gaúcho, ele disse em entrevista ao portal 'ge' que os seus 21 meses à frente da área foram de buscar por "legitimar" o seu trabalho. Fazendo com que, no fim das contas, a sua saída não lhe pegasse totalmente desprevenido:

- São coisas do futebol. O nosso trabalho, infelizmente, sofre grandes questionamentos quando há uma instabilidade nos resultados. Mas a minha demissão, se formos olhar pelo ponto de vista do meu posicionamento de brigar sempre em prol do departamento de futebol, já era esperada. Pois sempre busquei legitimar a função do executivo dentro do clube.

O ex-dirigente falou também sobre elementos relacionados as contratações e o fato de algumas delas terem sido alvo de críticas fortes por parte, principalmente, da torcida gremista. Como, por exemplo, a vinda de Thiago Neves, hoje no Sport.

- Nunca realizei absolutamente nada sozinho dentro do Grêmio. As indicações para as contratações eram sempre discutidas entre todo o departamento de futebol (eu, Renato e a Central de Dados Digitais). Após um consenso, eu ia ao mercado para verificar as condições, interesses e possibilidades. Depois disso, era encaminhada ao CEO e a diretoria para aprovação ou não - afirmou Klauss, agregando:

- O Thiago sempre foi pretendido pelo Grêmio, antes mesmo que eu estivesse no clube. Ele foi contratado em razão do grande jogador que é e também com interesse e aprovação de todos que fazem parte do contexto interno. Ele é um atleta com um currículo incrível. Foi campeão por onde passou, inclusive no Grêmio. E devido a essa carreira vitoriosa, seria natural que ele, estando livre no mercado, fosse pretendido por grandes equipes do futebol brasileiro. Aliás, assim que ele saiu do Grêmio, o Jorge Sampaoli pediu a contratação dele no Atlético-MG, líder do Campeonato Brasileiro.

Apesar dos pesares, Klauss Câmara reforçou que não guarda qualquer ressentimento da passagem pelo Tricolor, ao contrário. Para ele, o que mais ficou marcado foi a participação na atual gestão gremista:

- Os sentimentos pelo Grêmio sempre serão os mesmos, pois ele é muito maior que qualquer um de nós. Sempre levarei comigo e com minha família os grandes momentos que vivi aqui. Tenho certeza que esse tempo foi de muita coisa boa, sem dúvida o saldo é positivo do trabalho. As conquistas e essa torcida incrível ficarão marcadas eternamente em minhas lembranças. Sempre terei honra, orgulho e a satisfação de poder ter contribuído com o Grêmio e de poder ter feito parte da história dele.