Léo Gomes e Juninho Capixaba - Grêmio

Foto: Reprodução/GrêmioTV

Futebol Latino
16/05/2019
11:21
Porto Alegre (RS)

Sem manter a regularidade das últimas duas temporadas quando usa os chamados 'titulares', um dos pontos que tem chamado a atenção negativamente até mesmo para os atletas do Grêmio é a instabilidade na parte defensiva.

Em entrevista coletiva dada na última quarta-feira (15), os laterais Léo Gomes e Juninho Capixaba comentaram de maneira mais específica sobre o tema. Para eles, o grande problema tem sido em função de erros individuais que foram corrigidos.


- Acho que são erros individuais. Então, se eles já foram corrigidos, acho que não tem mais o que fazer e falar, agora é bola pra frente, pensar positivo e em busca das vitórias - avaliou Juninho.

- Acho que estamos comente erros bobos, até contra o Fluminense onde a gente estava ganhando acabamos relaxando um pouco, contra o Avaí também, a vitória estava na nossa mão e erramos no final. Acho que são erros que a gente já corrigiu, o professor Renato falou com a gente e a gente já sabe que não podemos cometer esses erros de novo. O grupo está ciente do que tem que fazer - completou Leonardo. 

Pensando na melhor estratégia de conseguir vencer o próximo compromisso do Brasileirão diante do Ceará no domingo (19) na Arena Castelão, o lateral-esquerdo do Imortal entende que a leitura de jogo além de se prevenir com erros defensivos será vital para a recuperação:

- Vai ser muito importante a leitura do jogo. Se você parar pra pensar, a palavra pode ser um pouco agressiva, mas nós amassamos os nossos adversários quando pudemos. No último jogo contra o Corinthians, teve momentos do jogo que foram ataque contra defesa. Não cabe a mim falar que o Grêmio é o melhor, pois houveram resultados negativos, mas a gente pecou atrás. Esses são erros que não podem voltar a acontecer.

- Pra ganhar precisamos fazer o que fizemos nos últimos dois anos, propor nosso jogo, nós sabemos como jogar dentro e fora de casa. A gente não muda nossa maneira de jogar dentro e fora de casa e o professor Renato cobra isso - adicionou Léo Gomes.