Marcelo Almeida

Marcelo Almeida, presidente do Goiás, quer adiar o jogo contra o São Paulo - Foto: Divulgação/Goiás

Fellipe Lucena
09/08/2020
14:03
São Paulo (SP)

O presidente do Goiás, Marcelo Almeida, diz que ainda está aguardando uma resposta da CBF ao pedido do clube para que a partida contra o São Paulo, inicialmente marcada para as 16h deste domingo, no Hailé Pinheiro, seja adiada. O Esmeraldino ficou sabendo pela manhã que dez jogadores foram diagnosticados com a Covid-19 em teste realizado na sexta-feira, sendo oito titulares.

- Recebemos o laboratório Albert Einstein quinta-feira. Os atletas foram testados. Depois recebemos o comunicado de que os testes foram mal acondicionados. Tivemos que repetir, foi prometido que os resultados sairiam ontem (sábado) às 16h. Saíram hoje cedo, ou seja, está tudo errado. Me lembrou o Bragantino - disse o dirigente, ao LANCE!, lembrando do episódio em que o Red Bull Bragantino teve diagnósticos equivocados de Covid-19 antes da partida contra o Corinthians, pelas quartas de final do Paulistão, em testes realizados também pelo Einstein.

Após receber os resultados, o Goiás acionou um outro laboratório e refez os testes nos jogadores, que seguem concentrados. Segundo o clube, são testes de PCR que ficam prontos em cerca de três horas. O presidente diz que já saíram os resultados de três testes em atletas que haviam sido diagnosticados com o vírus e todos deram negativo dessa vez.

- É esse mesmo exame que tinha sido feito pelo Einstein (PCR). Não sei nem se vai dar tempo de ficar pronto. Estamos esperando uma posição da CBF - emendou.

No Brasileirão, os testes são oferecidos pela CBF, que designou o Einstein para recolher as amostras do Goiás. Todas as equipes são testadas antes de cada rodada. O São Paulo, por exemplo, não teve nenhum teste positivo.

Veja a nota oficial do Goiás:


O Goiás Esporte Clube vem a público informar que, devido a quantidade de resultados positivos do Covid-19 nos exames apresentados pela CBF, está tentando junto a entidade o adiamento da partida deste domingo contra o São Paulo.

O clube vem fazendo testes para coronavírus semanalmente, do tipo RT-PCR, o mais confiável. Além de jogadores, são feitos exames em membros da comissão técnica, estafe que trabalha no Centro de Treinamento e em jogos no estádio do time. Eram cerca de 70 testes feitos no Goiás Esporte Clube por semana.

Antes do jogo contra o São Paulo, foi feita uma nova rodada de exames. Só que, ao contrário das vezes anteriores, desta vez a coleta foi realizada por um laboratório escolhido pela CBF. Os exames feitos na última quinta-feira foram invalidados pela CBF. A alegação é de que as amostras foram acondicionadas de maneira inapropriada. A CBF então pediu uma nova coleta ao laboratório, e os exames foram realizados na sexta-feira.

A apresentação dos resultados deveria ter sido feita no mínimo com 24h de antecedência da partida, prazo este que não foi cumprido. Os resultados só ficaram disponíveis para o Goiás Esporte Clube na manhã deste domingo, dia do jogo. De 26 testes realizados pela CBF, 10 contaminados, sendo 8 jogadores da equipe titular. Para agravar mais a situação, os contaminados estavam concentrados, dormindo dois atletas por quarto.

O clube acredita que se for para seguir um protocolo de segurança de saúde e prevenção ao Covid-19, todos deveriam estar em isolamento e observação pelo contato recente com pessoas contaminadas. O clube lamenta a situação e já realizou, por conta própria, uma nova bateria de exames nos contaminados. Resta agora aguardar se o pedido de adiamento do jogo será acatado ou não pela CBF.