Botafogo x Flamengo - Arrascaeta

Arrascaeta celebra gol pelo Flamengo no Nilton Santos (Marcelo Cortes / Flamengo)

Vinícius Faustini
23/02/2022
22:44
Rio de Janeiro (RJ)

Não faltaram emoções e momentos de heroísmo na equipe do  Flamengo durante a vitória por 3 a 1 sobre o Botafogo, em clássico realizado na noite desta quarta-feira (23) no Nilton Santos. Mas o ritmo rubro-negro passou por Arrascaeta, que, em nova noite inspirada, achou as brechas e ratificou a superioridade da equipe no clássico válido pela oitava rodada do Estadual.

Desde os primeiros minutos, o camisa 14 começou a traçar a rota do Flamengo para a vitória. Diante de um Botafogo que era vulnerável na marcação, Arrascaeta achou brechas e não perdoou ao encontrar novo espaço.

Ainda não é assinante do Cariocão-2022? Acesse www.cariocaoplay.com.br, preencha o cadastro e ganhe 5% de desconto com o cupom especial do LANCE!: GE-JK-FF-ZSW

Seu lançamento deixou Pedro livre para tocar na saída de Gatito Fernández. Logo depois, Arrascaeta assustou o camisa 1 alvinegro ao carimbar uma bola na trave, em finalização por cobertura que passou muito próxima... Para o bom desempenho do camisa 14, foi essencial contar com a noite de Lázaro, jovem que estava bem à vontade na função de ala.


Arrascaeta ocupou bem seus espaços, viu o Flamengo ampliar ainda no primeiro tempo, em contra-ataque engatado pela promessa rubro-negra que culminou no gol de um Gabigol perseverante. E mesmo com os dois gols de vantagem da equipe de Paulo Sousa, o meia continuou abnegado.

Com dribles, triangulações e trocas de passes, o meia foi um desafogo constante do Flamengo em uma etapa final na qual o Botafogo equilibrou as ações. A abnegação de Arrascaeta foi coroada no finzinho. Após uma jogada de pé em pé, o uruguaio recebeu de Matheuzinho, mandou de longe e estufou a rede para delírio da Nação. 

O uruguaio mostrou ao Flamengo que não basta ter espaços. É necessário aproveitá-los. Na noite típica de clássico, a perseverança de Gabigol ao tentar suas conclusões, o bom momento de Pedro (em noite na qual marcou gol e também se tornou centro das atenções devido ao lance de possível pênalti não marcado para o Botafogo) e um Lázaro empenhado para ajudar a engrenagem da equipe também encheram os olhos da Nação. Mas Arrascaeta fez o Rubro-Negro prevalecer contra um Alvinegro que oscilou muito.