Douglas Marques das Flores

Douglas durante Ponte Preta 0 x 1 Palmeiras: ele expulsou Dudu - FOTO: Cesar Greco

LANCE!
13/02/2020
14:08
São Paulo (SP)

A Federação Paulista de Futebol designou Douglas Marques das Flores, de 34 anos, para apitar São Paulo x Corinthians, às 19h deste sábado, no Morumbi, pela sexta rodada do Paulistão. Ele será auxiliado por Danilo Ricardo Simon Manis e Neuza Inês Back.

Douglas vem de duas arbitragens que renderam reclamações, sobretudo a última: na quarta-feira, ele validou um gol irregular do Sport nos momentos finais do jogo contra o Brusque, pela Copa do Brasil, e voltou atrás após ser muito pressionado e conversar com seu auxiliar - Elton havia marcado com o braço. Com o gol anulado, o Brusque venceu por 2 a 1 e avançou. Se fosse validado, o Sport teria se classificado.

No sábado passado, Douglas apitou a vitória por 1 a 0 do Palmeiras sobre a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, e ouviu reclamações dos palmeirenses por supostamente não punir com o devido rigor as faltas duras da Macaca e pela expulsão de Dudu, que os visitantes acharam exagerada. Já a Ponte enviou uma reclamação formal à FPF alegando ter sido prejudicada em dois lances que seriam de pênalti.

Ele já apitou um clássico do Corinthians: empate sem gols com o Santos, em Itaquera, no Paulistão do ano passado, jogo que terminou sem maiores reclamações. Também esteve à frente de uma partida importante do São Paulo, mas no sub-20: empate por 2 a 2 com o Vasco na final da Copa São Paulo de 2019, vencida nos pênaltis pelo Tricolor e também sem grandes problemas de arbitragem.

Os dois rivais vêm sofrendo com o apito nos últimos dias. O São Paulo foi amplamente prejudicado no empate por 1 a 1 com o Novorizontino, pela quarta rodada do Paulistão, com dois gols mal anulados e dois pênaltis não marcados - Flávio Roberto Mineiro Ribeiro foi afastado dos jogos organizados pela FPF para reciclagem. No último domingo, um gol irregular do Santo André foi validado e o Tricolor perdeu por 2 a 1 no ABC.

O Corinthians sofreu na Libertadores. A falta que originou o gol que garantiu a vaga ao Guarani do Paraguai não existiu, além de haver contestações sobre rigor excessivo na expulsão de Pedrinho, ainda no primeiro tempo.