Totti

Totti pregou a união dos torcedores com a equipe, treinador e dirigentes (Foto: Reprodução)

LANCE!
05/09/2018
12:20
Roma (ITA)

A Roma vive um momento de pressão. Com quatro pontos em três jogos, sobram críticas ao treinador Di Francesco e o diretor esportivo Monchi. A cobrança em torno dos jogadores aumentou, principalmente entre os jovens Kluveirt e Schick. Ninguém melhor para analisar esse momento que o eterno capitão da equipe, o ex-jogador Francesco Totti. Sincero e apaziguador, o ídolo falou todos esses fatores e pediu paciência. Sobre a Juventus, disse que a equipe de CR7 disputa um "campeonato a parte".

- Nós devemos saber: a Juventus vai fazer um campeonato a parte do que nós (Roma), Internazionale, Milan, Napoli e Lazio. Isso, porém, não deve ser um álibe para a Roma, nós devemos lutar para provar que podemos vencer. Mas a Juve está a parte, essa é a realidade - disse, sincero, Totti

Di Francesco
Um dos principais criticados desse início ruim é o técnico Di Francesco. Nos seus 25 anos de Roma, Totti teve contato com diversos treinadores. Sobre o atual comandante da Roma, o ex-jogador disse que a torcida precisa apoia-lo e que ele botaria "a mão no fogo" pelo técnico.

- Eu boto a mão no fogo por Di Francesco, ele é um dos melhores treinadores italianos, tem grande caráter e já demonstrou isso na Roma. Aqui queremos vencer, mas existem outros clubes vitoriosos. Os dirigentes e os torcedores tem que ficar do lado do treinador. A equipe tem que seguir seu treinador - analisou o ex-jogador

Totti e Di Francesco
Totti disse que bota a "mão no fogo" por Di Francesco (Foto: Reprodução)

Os jovens romanos
As maiores apostas da Roma para a temporada são os atacantes Justin Kluivert e Patrik Schick. O filho do ex-jogador Patrick Kluivert, o holandês de 19 anos jogou apenas duas partidas (ficou a última no banco) e deu apenas uma assistência. Schick chegou em junho de 2017, fez 29 partidas e marcou apenas 3 gols. Totti elogiou os dois jogadores e falou sobre a pressão.

- É normal, significa que querem demostrar o quanto valem, que se preocupam com si e com a Roma. Quando eu também tinha 18 anos queria jogar toda hora e respondi da mesma forma. São dois jovens excepcionais e que tem um grande futuro - comentou o italiano

Cedo para criticar Monchi
Por fim, Totti analisou outro assunto que ilustra o momento da equipe. A atuação do diretor esportivo, Monchi, que trouxe bons jogadores, mas também perdeu outros, como o goleiro Alisson. A imprensa italiana veicula que o dirigente está insatisfeito e que Manchester United e Barcelona tem interesse em sua contratação. Para Totti, não adianta cobrar no início da temporada.

- Vendeu grandes jogadores e trouxe outros, alguns jovens, outros nem tanto. Somos uma equipe de segundo a quarta colocação, mas alto nível, com jogadores de seleção. No final do ano vamos ver, não adianta criticar ele agora. Tem que se ter um equilíbrio, se perder dez partidas seguidas, aí tudo bem - finalizou o italiano