Atalanta x PSG - Comemoração

Marquinhos fez o gol do empate (Foto: DAVID RAMOS/AFP)

LANCE!
13/08/2020
10:45
São Paulo

Com um problema crônico envolvendo o estado físico de todos os seus atletas na temporada 2019/2020, o Paris Saint-Germain passou por diversos problemas antes da partida mais importante de seu calendário e, mesmo com todas as adversidades, saiu vitorioso.

Depois de retornar aos gramados ao vencer a Copa da França e a Copa da Liga, o Paris Saint-Germain enfrentou o maior desafio de sua temporada. Ontem, a equipe francesa jogou contra a Atalanta para decidir quem avançava para as semifinais da Uefa Champions League.

Com o contexto da saúde mundial forçando a adaptação do maior torneio continental da Europa em seu retorno, o sistema de ida e volta dos jogos da fase de mata-mata acabou alterado para o jogo único e o caminho a ser percorrido por Neymar e seus companheiros até a final nunca esteve tão curto. As adaptações chegaram também ao campo dos jogos online, a exemplo do yoyocasino.com/br/ que tem buscado formas de contemplar os diferentes públicos ao oferecer diversas modalidades de jogos.

Entretanto, o ano de 19/20 não estava acontecendo de uma boa forma para os parisienses. Se em relação às conquistas a situação está positiva (Ligue 1, as duas copas e a Supercopa), o estado físico do elenco era preocupante. As duas lesões sofridas por Neymar no quinto metatarso do pé direito (fevereiro de 2018 e janeiro de 2019) e a torção no amistoso entre Brasil e Qatar foram o começo de um pesadelo que assombrava os planos da equipe de Thomas Tuchel. O medo foi compartilhado de forma explicita pela comissão técnica do PSG durante as oitavas de final contra o Borussia Dortmund, já que o clube decidiu poupar o brasileiro nos jogos que antecederam a decisão de forma polêmica e não foi só o camisa 10 que sofreu com problemas físicos ao longo do ano.

Já em agosto de 2019, o jornal Le Parisien relatou como a preparação física do PSG era um problema dentro das várias lesões que se multiplicavam dentro do elenco. De acordo com o veículo, o conteúdo e a intensidade dos treinamentos liderados por Rainer Schrey, preparador da equipe de Tuchel, foram um ponto de inquietação depois que os problemas se multiplicaram e que os jogadores reclamaram da carga de trabalho elevada. Até fevereiro, 13 jogadores do elenco do Paris Saint-Germain além de Neymar sofreram com lesões e o total de jogos perdidos pelos mesmos quase chegou ao total de 70. Com os desfalques, Tuchel se viu forçado a alterar diversas vezes o seu sistema tático e se adaptou ao que teve num período em que o clube disputou 16 jogos num intervalo de pouco mais de 40 dias. Jogadores como Abdou Diallo, Presnel Kimpembe, Ander Herrera, Kylian Mbappé, Marquinhos, Idrissa Gueye e Marco Verratti desfalcaram sua equipe desde o início da temporada.

Kylian Mbappé se lesionou na final da Copa da França contra o Saint-Etienne. Após ter sido peça chave no lance do gol que sagrou o seu clube campeão do torneio, o zagueiro Loïc Perrin realizou uma entrada dura e forçou a saída do atacante de forma antecipada após sofrer uma torção no tornozelo. Já Marco Verratti teve um problema na panturrilha após o treinamento do dia 4 e se tornou dúvida para o encontro depois de se lesionar num choque involuntário com o companheiro Eric Maxim Choupo-Moting. De acordo com Thomas Tuchel, as notícias sobre o estado de seus jogadores não foram as melhores uma semana antes da partida da Liga dos Campeões e o treinador alemão disse que não contava com a presença de Mbappé para a partida mais importante do ano. Porém, a escalação do técnico para o jogo de ontem garantiu ao PSG uma vitória de virada no fim. Marquinhos marcou o primeiro gol aos 90 minutos e Eric Maxim Choupo-Moting aumentou a vantagem aos 3 minutos de acréscimo.