LANCE!
11/08/2021
07:23
Paris (FRA)

Lionel Messi falou publicamente pela primeira vez como novo jogador do Paris Saint-Germain. Anunciado pelo clube francês na última terça-feira, o astro argentino foi apresentado nesta quarta no Parque dos Príncipes e conversou com a imprensa em entrevista coletiva.

>> Hoje com Messi, mas antes… Veja como era o último time do PSG antes de ser comprado por bilionário do Qatar

>> Confira o valor de mercado de cada jogador da escalação do PSG com Messi


+ Veja a tabela e os jogos da La Liga 2021/22


Em um auditório lotado na casa do clube parisiense, Messi falou por cerca de 30 minutos, e respondeu as mais diversas perguntas. O craque começou a coletiva com um agradecimento e disse estar muito feliz de ter acertado com o PSG.

- Quero agradecer as palavras do presidente do clube e dizer que estou muitíssimo feliz. Todos conhecem minha história, saí do Barcelona dias atrás. Foram muitos anos, e a mudança é difícil, depois de tanto tempo, tanta entrega. Mas quando cheguei em Paris, senti uma felicidade enorme. Quero começar a treinar, que essa apresentação toda passe logo. Estou muito feliz - disse.

- Quero agradecer ao presidente, ao Leonardo, a todos que me trataram muito bem. Desde o primeiro dia, quando saiu o comunicado do Barcelona, tudo aconteceu de forma muito rápida. Chegar ao acordo não era algo fácil, então devo agradecer muito ao tratamento dado. Estou muito feliz, muito emocionado, com vontade de jogar e sede de continuar ganhando. O PSG é um clube que tem ambição. Estou vendo isso no corpo técnico, o time parece preparado para lutar por todos os títulos. E esse é meu objetivo também. Espero que nós, juntos, possamos chegar a esse objetivo - seguiu.

Nasser Al-Khelaifi e Mesis em coletiva do PSG
Messi posou para fotos com sua nova camisa (Foto: STEPHANE DE SAKUTIN / AFP)

Na primeira pergunta ao novo camisa 30 parisiense, Messi foi questionado sobre a possibilidade de formar um ataque com Neymar e Mbappé. Na sequência, ele também falou de sua amizade com o brasileiro e outros argentinos no elenco.

- Para mim, será uma felicidade gigantesca poder dividir o dia a dia com jogadores fenomenais, pessoas incríveis. E minha vontade é começar logo a treinar, a competir. Farei isso com os melhores. Isso certamente é maravilhoso. Será maravilhoso viver o dia a dia e aproveitar a companhia deles.

- Tenho certeza que a relação no vestiário será das melhores, vendo os jogadores que tem no time. Isso mostra que temos chance, que o objetivo pode ser alcançado em Paris. Nós, jogadores, buscamos os objetivos em cada time, e agora somando força, tomara que consigamos. Mas claro que foi bom. Ney, Di María, Paredes, são amigos, jogadores que já conheço. Tive contato, conversamos. Eles fizeram muito para que eu escolhesse esse clube.

Messi não deu uma previsão para sua estreia pelo novo clube. O jogador disse que ainda precisa fazer uma pré-temporada, pois ainda não treinou desde que voltou das férias, mas que está ansioso para jogar. De acordo com a imprensa francesa, o primeiro jogo do argentino pode ser na quinta rodada da Ligue 1.

- Não sei ainda, acabo de voltar de férias, estava há um mês parado. Ontem falei com o técnico. Acho que vou ter que fazer uma pré-temporada sozinho, treinar para poder jogar. Espero que seja o quanto antes, mas não posso te dar uma data. Não é uma decisão minha. Mas a vontade existe.

O craque argentino voltou a falar sobre a conturbada saída do Barcelona, que não renovou o contrato do atleta. Ele lembrou que foi um momento difícil, mas que agora está feliz por estar em Paris.

- Tudo que aconteceu na última semana para mim foi muito difícil por um lado, emocionante por outro. Não deixo para trás tudo que vivi no Barcelona, tudo não some de um dia para o outro. Mas estou muito feliz por estar aqui, começar essa nova etapa. E agradeço à minha família por estar comigo. A minha semana foi de altos e baixos, muitos sentimentos. A gente foi assimilando isso da maneira possível.

+ Hoje com Messi, mas antes… Veja como era o último time do PSG antes de ser comprado por bilionário do Qatar

Nasser Al-Khelaifi e Lionel Messi em coletiva no PSG
Messi ao lado do presidente do PSG, Nasser Al-Khelaïfi (Foto: STEPHANE DE SAKUTIN / AFP)

VEJA OUTROS TRECHOS DA ENTREVISTA

Festa da torcida: "Agradeço muito pelas pessoas que estavam aqui. Eu ainda estava em Barcelona e as pessoas disseram que eu já estava viajando, se precipitaram, mas agradeço muitíssimo. Espero que seja um ano extraordinário para nós."

Vencer a Champions League: "Não é fácil. Às vezes, um time excelente, o melhor do mundo, pode não ganhar. Isso é futebol, pequenos detalhes podem te deixar fora de um torneio. A Champions é muito difícil, o PSG sabe disso. Tinha um time excelente e não conseguiu conquistar. É a competição onde os grandes se encontram. Qual a receita? Não sei. Um grupo forte e unido é fundamental, e sei que no PSG tem isso. E tem que ter um pouco de sorte no futebol. E ela precisa ser conquistada, precisa estar do nosso lado. Mas nem sempre o melhor time ganha, muitos não conseguiram. E por isso a Champions é um torneio tão gostoso de assistir."

Elenco do PSG: "É um time basicamente pronto, foram feitas contratações para a temporada. O PSG esteve perto de vencer a Champions em outras oportunidades. E estou aqui para ajudar, dar o melhor, com muita vontade, sede de jogo. Nunca tive tanta vontade de jogar. Tenho o objetivo, quero uma Champions, e estou no lugar para ter uma chance desse título."

Futebol francês: "Acompanho o futebol francês. Tenho amigos aqui no PSG e sempre acompanhei o Campeonato Francês, que cresceu muito nos últimos anos. O PSG ajudou muito com suas contratações, colocou o futebol francês em outro patamar. E os outros times foram crescendo, tentando crescer, ganhar a liga. Para mim será uma experiência nova. Depois de tanto tempo no Barcelona, um novo estádio, uma nova casa. Mas estou muito feliz por estar aqui."

Recado à torcida do Barcelona: "Antes de sair, sem saber para onde eu iria, eu disse a eles que sempre vou considerar Barcelona como minha casa. Desde criança morei na cidade. Vivi muitas coisas, boas e ruins, e eles sabiam que eu não poderia ir para um time que não fosse competitivo. Eles sabem que gosto de ganhar, eles me conhecem. Quero continuar buscando meus objetivos, quero fazer com que o PSG possa seguir com o objetivo de ganhar, ser cada vez mais importante como clube. Não sei se isso vai acontecer, mas se eu tiver que encontrar o Barcelona, que seja bonito, que o estádio esteja cheio. Mas claro que vai ser estranho, eu admito, jogar contra o Barcelona vestindo outras cores. Mas é futebol, isso acontece."

Sair da zona de conforto: "Obviamente que mudei muito, os anos se passaram. Mudei como pessoa, como jogador, muita experiência, vivi coisas boas e ruins. Mas como pessoa e jogador, meu crescimento foi muito grande. Tenho a mesma vontade, desejo de ganhar. Essa paixão trago desde criança. Quero dar o melhor de mim, como sempre fiz atrás dos objetivos."

Elenco e técnico: "Quando começou a conversa, quando vimos que é possível, falamos com Mauricio Pochettino. Conheço ele há muito tempo, pois somos argentinos, isso facilita as coisas. Nós conversamos, tudo ficou claro desde o início. O corpo técnico e os jogadores do PSG fizeram a diferença. Quando vi aquela lista de nomes, quis jogar neste clube."

Desafio em novo país: "Quando falei com Leonardo a única coisa que disse a ele é que esperava que minha família pudesse ficar bem, se adaptar rapidamente à cidade, a Paris. Estou cheio de vontade de jogar. Isso é futebol, e futebol é a mesma coisa no mundo todo. Estou cheio de amigos no vestiário que vão facilitar meu entrosamento aqui. E é enorme a minha vontade de começar essa aventura, conhecer todos os meus colegas de trabalho, ter um contato saudável com eles, dividir alegrias. Estou preparado em todos os níveis, pessoal, com a família, mas também profissional. Vou dar tudo de mim nessa cidade especial que é Paris. Estamos muito tranquilos, muito felizes."

Verratti: "Com certeza, é um grande jogador, um dos melhores do mundo na posição. No Barcelona, o quiseram muito, por muitos anos. E hoje aqui no PSG vou jogar com ele. Ele é um fenômeno, um grande jogador, conheci pessoalmente, é uma pessoa encantadora. Mas não é só Marco. O vestiário está cheio de grandes jogadores, cada um em sua posição. É um excelente grupo. Espero poder dar o melhor de mim para que os objetivos sejam atingidos."