Leonardo Damico*
26/07/2018
15:14
Rio de Janeiro (RJ)

O período pós-Copa do Mundo é sempre de bastante reflexão sobre o futuro da Seleção Brasileira, principalmente quando a Amarelinha não corresponde do jeito que os torcedores esperam. Outro assunto que movimenta o futebol após o Mundial é a janela de transferências. Nesse sentido, o LANCE! levantou alguns dados e observou que até aqui os brasileiros são novamente as principais contratações da janela.

Não é novidade o protagonismo dos brasileiros quando o assunto é período de transferências. Atletas como Neymar e Phillipe Coutinho movimentaram quantias milionárias em suas negociações. No entanto, uma curiosidade chama atenção na atual janela de verão na Europa. Até aqui, a maioria dos brasileiros que foram negociados por altos valores tem até 21 anos, e estes, já movimentaram € 280 milhões, aproximadamente de R$ 1,2 bilhão, segundo o Transfermarkt.

Além desse fator, outro motivo que indica um horizonte promissor do Brasil para os próximos anos é a ida desses jovens para grandes centros e gigantes equipes do futebol mundial. A lista, tem atletas que já atuavam em grandes ligas, mas a presença maior é de jogadores que se transferiram agora para os campeonatos e times mais importantes da Europa.

Brasileiros de 20-21 anos
Os atletas com essa idade, que, em tese, podem disputar mais três mundiais são: Richarlison (21), que foi vendido pelo Watford ao Everton, ambos da Inglaterra, por € 45 milhões (R$ 196 milhões); Malcom (21) e Arthur (21) que se transferiram para o Barcelona por € 41 milhões (R$ 178 milhões) e € 31 milhões (R$ 135 milhões) respectivamente; e Felipe Vizeu (21) que foi negociado do Flamengo para a Udinese por € 5 milhões (R$ 21 milhões)

Ainda nessa faixa etária, outros jovens brasileiros foram transferidos nesta janela, contudo, ainda não estão nas grandes ligas do futebol mundial, como é o caso de: Roger Guedes (21), vendido ao Shandong Luneng (CNH) por € 9,5 (R$ 41 milhões); Maycon (21), negociado para ao Shakhtar (UCR) por € 6,5 mi (R$ 28 milhões); e Éder Militão (20) que se juntou ao Porto por € 7 milhões (R$ 30 milhões). Mesmo não atuando nas principais ligas, estes foram negociados por quantias milionárias para grandes equipes.

Brasileiros de 17-18 anos
Ainda muito jovens, mas assediados na Europa, Vinicius Junior (18), Rodrygo (17) e Paulinho (18) já foram negociados por altíssimos valores para grandes equipes do futebol mundial. Os dois primeiros pertencem ao Real Madrid por € 45 milhões (R$ 196 milhões) cada. Vinicius já se juntou aos Merengues, enquanto Rodrygo espera atingir a maioridade. Em situação parecida, o ex-vascaíno Paulinho foi vendido por € 18,5 milhões (R$ 80 milhões) para o Bayer Leverkusen. Pela idade, estes ainda podem atuar por pelo menos quatro Copas do Mundo, caso atinjam e mantenham nível de Seleção.

Outros garotos pouco conhecidos no Brasil:
Além dos jogadores já citados, existem outros também que deixaram o Brasil bem cedo e foram transferidos para grandes times, por altos valores na atual janela de transferência, como: Matheus Cunha (19), atacante revelado no Coritiba, que foi vendido pelo Sion (SUI) ao RB Leipzig (ALE) por € 15 milhões (R$ 65 milhões); Raphinha (21), cria do Avaí, e vendido pelo Vitória de Setubal (POR) ao Sporting por € 6,5 milhões (R$ 28 milhões); e Fernando (19), atacante recém-vendido pelo Palmeiras ao Shakhtar por € 5,5 milhões (R$ 23 milhões).

Mesmo os que ainda não disputam os grandes campeonatos, têm chance de figurar futuramente nas convocações de Tite, que renovou com a Seleção Brasileira. Nesta Copa, por exemplo, o treinador levou para a Russia jogadores como Renato Augusto, Fred e Taison, que não atuaram nos principais clubes do cenário mundial na última temporada. Todos eles vão adquirindo cada vez mais experiência e maturidade para deixarem de ser promessas e se tornarem realidade, entrando assim no radar da Seleção Brasileira.

*Sob supervisão de Leonardo Martins