Nenê no Parque dos Príncipes

Nenê entrou no gramado do Parque dos Príncipes antes de jogo do PSG (Foto: Reprodução / Twitter PSG)

LANCE!
07/12/2021
14:27
Paris (FRA)

Ex-jogador do Paris Saint-Germain, o meia-atacante Nenê, atualmente no Vasco da Gama, foi convidado pela direção da equipe francesa a assistir o jogo do clube da Cidade Luz contra o Brugge, pela última rodada da fase de grupos da Champions League, nesta terça-feira, no Parque dos Príncipes.


Passando férias fora do Brasil após a campanha do Cruz-Maltino na Série B 2021, o jogador de 40 anos afirmou que sente-se extremamente feliz em voltar ao estádio do clube parisiense, onde atuou entre 2010 e 2012.

- Isso me deixa extremamente feliz (voltar ao Parque dos Príncipes). Verdadeiramente. Isso aquece meu coração porque o Parque é um pouco como minha segunda casa. Eu tive um tempo incrível aqui. E vai trazer de volta algumas ótimas lembranças - disse o atleta ao site oficial do PSG.

- Eu só mantenho bons momentos. Repleto de momentos especiais e pelo fato de ter podido jogar com uma camisa que alguns dos meus ídolos também vestiram, como o Raí ou o Ronaldinho. E ter podido inscrever o meu nome na história deste incrível clube é uma honra para mim. Guardo alguns grandes gols, algumas ótimas atuações, um título de artilheiro em um campeonato muito difícil como a Ligue 1. Para mim, esses são os melhores anos da minha carreira na Europa - completou.

+ Veja a tabela e os jogos da Champions League

Amigo pessoal de Neymar, que não entrará em campo em virtude de uma lesão no tornozelo esquerdo, Nenê esteve na casa do camisa 10 nos últimos dias, segundo registros nas redes sociais. Para o duelo desta terça-feira, o meia apostou em vitória por 3 a 0.

- Eu diria 3 a 0. Espero que Paris jogue bem. Já nos classificamos, mas queremos ver um bom show para os nossos torcedores - frisou.

+ A diferença é muito grande? Confira quanto valem os elencos de Chelsea e Palmeiras


Questionado sobre a longevidade de sua carreira, Nenê afirmou que trabalha com disciplina e amor pelo futebol para conseguir chegar em boas condições físicas mesmo com a idade avançada.

- Acho que devo à disciplina, ao amor pelo futebol, aos desafios amorosos, à vontade de ir além dos limites da idade, que poucos jogadores conseguiram fazer. E sou muito competitivo. Acho que isso também me ajuda a continuar jogando em um bom nível. É muito bom ainda estar em campo, jogando por um dos grandes times brasileiros. E espero continuar - finalizou.