Luis Polastri (Timbó Rex)

Luis Polastri (Timbó Rex) será um dos três brasileiros no draft da CFL, em abril-(Divulgação/Arquivo Pessoal)

Valinor Conteúdo
03/04/2021
21:53
Belo Horizonte

Luis Polastri, do Timbó Rex, é outro brasileiro que irá participar do draft na CFL. Al[em de Luis, Ryan David, do Galo FA e Klaus Pais, do Ribeirão Preto Challengers, representarão o país na tentativa de entrar em uma liga fora do país.

A ida do trio para uma seleção dessa magnitude reforça que o esporte no Brasil está crescendo sim e o potencial é de exportar talentos é maior do que se imagina.

E, os próprios atletas enxergam que há um novo cenário para novas possibilidades de carreira no FA dentro de fora do Brasil. Luis crê que uma série de fatores tem aberto portas e atraído olhares para os jogadores nacionais e o sucesso recente de Duzão, indo para o Miami Dolphins, também precisa ser considerado como fator importante do novo status do atleta brasileiro.

-Creio que isso (a maior atenção para os nossos jogadores fora do país) se deve a uma sucessão de acontecimentos, como a ida de Duzão para a NFL e o imenso trabalho que KJ faz para trazer mais olhos para o Brasil. O trabalho, que já vem de muito tempo atrás, sempre acreditando que o brasileiro tem potencial para estar em grandes ligas basta ele trabalhar para isso. Acho que esses são alguns pontos importantes dentro de vários outros. E fico muito feliz por essas oportunidades aparecerem e de poder fazer parte-disse Luis.

O campeão brasileiro de 2018 com o Galo FA demonstra que por trás do resultado em campo, exige muito trabalho no dia a dia para se alcançar um nível satisfatório no seu jogo.

-Eu sempre treinei com o objetivo de alcançar meu maior potencial no esporte porém nunca visando esse objetivo, visto que era uma realidade quase impossível até algum tempo atrás. Busco me manter focado e trabalhando sempre para um objetivo maior-contou, para em seguida citar alguns elementos chaves em sua preparação e comuns aos talentos brasileiros, que se tiverem mais estrutura e incentivos, irão ainda mais longe no esporte.

-Superação, raça, são palavras que o brasileiro entende bem seja no esporte ou em qualquer outra área. No dia em que tivermos mais incentivo, creio que inúmeros outros nomes irão surgir em todos os outros esportes- completou.

Sobre a preparação para o draft, Luis Polastri diz estar tranquilo, sem ficar ansioso para os próximos passos.

-Eu tento me distrair, não pensar muito(no draft). Até porque venho de uma periodização de 12 semanas de trabalho focados em bater tempos em determinados exercícios. Para o combine, o corpo e a mente agradecem, visto que agora só nos resta esperar- explicou Luis que tem em mente o “desenho” dos próximos passos no FA.

- Quero construir uma carreira sólida fora do Brasil, sendo CFL ou NFL. Assim, poder retribuir para o esporte, tudo aquilo que ele me deu-concluiu Luis, que fará o draft neste mês de abril de forma virtual.