Rodrigo x Milton Mendes

Milton Mendes e Rodrigo se envolveram em ação judicial que terminou melhor para treinador (Divulgação)

LANCE!
09/02/2021
14:19
Rio de Janeiro (RJ)

O treinador Milton Mendes ganhou, na última semana, o processo que movia contra o ex-atleta Rodrigo, que atuava como zagueiro e, inclusive, foi comandado pelo técnico no Vasco por um breve período. O caso aconteceu no Brasileirão 2017 após uma partida e vinha se arrastando na Justiça.

+ Veja a tabela do Brasileirão e simule

A ação seguia na Justiça desde o acontecimento, que ocorreu em 6 de agosto de 2017, no Estádio Moisés Lucarelli, quando o atleta atuava na Ponte Preta e proferiu agressões verbais e físicas ao então treinador do Gigante da Colina, após o término da partida.

Rodrigo explicou, na época, que não gostava de Milton por ter pedido que o então zagueiro saísse do Vasco tempos antes
. Nas redes sociais, ele revelou o motivo da confusão. Milton teria ido até Rodrigo enquanto o defensor conversava com Nenê.

A decisão já havia sido favorável ao treinador em setembro de 2020, mas ainda cabiam recursos para a defesa do réu, diferente da situação atual, onde o processo chegou ao trânsito em julgado, não podendo mais caber recursos e condenando. Rodrigo pagará uma indenização por danos morais e arcará com todos os custos do processo, incluindo honorários do advogado Paulo Arruda Veras, defensor de Milton na causa.

O treinador atualmente segue sua carreira em Portugal, estando no Marítimo, clube que disputa a primeira divisão nacional. Milton, de 55 anos, deixou o clube carioca no mesmo mês, somando um aproveitamento de 46%.

- O futebol não comporta esse tipo de conduta do ex-atleta, e a Justiça, como não poderia deixar de ser, condenou o Rodrigo a indenizar Milton em razão desse lamentável episódio. Ficamos felizes com o desfecho – afirmou Paulo Arruda Veras, advogado do técnico.

O zagueiro Rodrigo tem um histórico de polêmicas que envolve, por exemplo, os atacantes Paolo Guerrero e Fred. Aos 40 anos, o ex-defensor atuou por Vasco, São Paulo, Internacional, Flamengo, Grêmio, Goiás, Vitória, Dínamo de Kiev, da Ucrânia, e Ponte Preta.