Kobe Bryant - Homenagem

Morto em 2020 em acidente aéreo, Kobe recebeu homenagens de torcedores ao redor do globo (Foto: Reprodução/Instagram)

LANCE!
09/03/2021
11:41
Los Angeles (EUA)

A Justiça dos Estados Unidos autorizou, nesta terça-feira, que Vanessa Bryant, viúva do ex-jogador de basquete Kobe Bryant, conheça os nomes de quatro policiais acusados de vazarem fotos do local da queda de helicóptero que vitimou o astro do Lakers, em 2020, além de outras oito pessoas - incluindo a filha do casal, Gianna.

+ Paulista, Mineiro, Carioca: Saiba como andam os estaduais pelo Brasil

No dia 26 de janeiro, na região de Calabasas, na Califórnia, o acidente teria sido registrado por agentes da polícia local. Além dos policiais, membros do Corpo de Bombeiros da Califórnia também foram investigados por alguma possível irregularidade ao divulgarem fotos não autorizadas e inéditos sobre a fatalidade cerca de um mês depois.

A viúva de ex-atleta processou o Departamento do Condado de Los Angeles em maio do último ano pelo vazamento das imagens. A família havia sido contra a divulgação e solicitou que houvesse privacidade no momento de luto. Uma lei com o nome do astro foi criada, em setembro, para evitar que socorristas fotografem acidentados e vítimas fatais em cenas de crimes.

O pedido da viúva de um dos maiores atletas dos EUA acabou sendo concretizado a partir da determinação do juiz distrital John F. Walter
. A decisão vai em contra-mão com os pedidos do Departamento do Xerife do Condado de Los Angeles, que avaliaram que, se reveladas as identidade dos agentes, eles estariam sob o risco de que "hackers invadissem os dispositivos dos acusados para obter as imagens".

O chefe do departamento, Alex Villanueva, confirmou que as cenas foram deletadas, o que encaminhou a decisão. Em nota, o advogado da família Bryant afirmou que "a transparência promove a responsabilidade". A ideia é que o caso seja levado à audiência pública.

- O Departamento do Xerife quer ocultar os nomes dos policiais que tiraram e compartilharam fotos do meu marido, minha filha e das outras vítimas. Qualquer outra pessoa que enfrentasse essas acusações seria desprotegida, nomeada e divulgada ao público. Esses policiais precisam ser responsabilizados por suas ações - desabafou Vanessa através de suas redes sociais, em 2020.