Everaldo Marques

Everaldo Marques concedeu entrevista exclusiva ao LANCE! (Reprodução)

Tadeu Rocha, Rodrigo Portella e Matheus Costa
08/12/2020
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

Conhecido por sua versatilidade, Everaldo Marques consegue manter seu alto nível em qualquer esporte: futebol, basquete, futebol americano, automobilismo e qualquer outro. Entretanto, 2020 foi um ano em que o experiente jornalista conheceu uma nova modalidade. O mundo dos jogos, que cresce cada vez mais ao redor do planeta, atraiu a atenção do experiente comunicador.

Everaldo foi escolhido para ser um dos apresentadores, ao lado de Nyvi Stephan, do Prêmio eSports Brasil 2020, que será realizado nesta terça-feira às 21h e transmitido pelo SporTV. Em entrevista ao LANCE!, o narrador contou como foi o início de sua relação com o eSports e como surgiu o convite para apresentar a atração.

- No começo do ano, tive a minha primeira oportunidade narrando eSports, em um torneio da FIFA. Brasil e Argentina fizeram a final, representados por Everton Ribeiro e ‘Kun’ Agüero, jogadores profissionais de futebol, que fizeram dupla respectivamente com Zezinho e Iago, jogadores de futebol virtual. Fizemos uma transmissão no SporTV, deu super certo e logo depois surgiu o ‘FC: Futebol de Casa’. Essas minhas experiências nos eSports, principalmente com o futebol, me colocaram no cenário dos games e surgiu o convite para apresentar a quarta edição do Prêmio eSports Brasil - afirmou.

Não à toa, a relação de Everaldo com os jogos aumentou justamente quando ele deixou a ESPN e assinou com o Grupo Globo. Inclusive, uma das primeiras experiências do narrador foi comandar o "FC: Futebol de Casa", um campeonato de futebol no vídeo-game durante a quarentena. Ele contou como foi a sensação e como foi essa nova fase.

- Foi uma experiência muito bacana, porque conseguimos transmitir de casa. Foi um produto pensado para as soluções de tecnologias disponíveis em tempos de pandemia. Não foi uma adaptação, como aconteceu em outros programas. O “FC: Futebol de Casa” foi criado exatamente por conta deste cenário com limitações. E foi legal exatamente por ser diferente, porque tive a oportunidade de narrar os jogos durante as partidas, interagindo com os jogadores e o comentarista. No meio das partidas sempre tinha uma resenha entre os atletas e a gente participava dando alguns pitacos, divertindo o clima da transmissão. Os jogadores também estavam com um espírito muito bacana, então foi uma experiência muito legal. Eu jogo muito com o meu filho, principalmente os jogos de futebol e basquete, além da Fórmula 1, com alguns amigos online. Os meus jogos favoritos no videogame são ligados diretamente ao esportes - explicou.

Sua parceira de transmissão, Nyvi Estephan, é a maior referência de comunicação no mundo dos eSports no Brasil. Logo, o experiente narrador se sente o 'novato' da turma, que também conta com o experiente Gordox,, e se mostra disposto a aprender.

- Até me sinto o ‘novato’ da turma, mas não exatamente nervoso, até porque o pessoal tem sido muito legal comigo. A Nyvi tem sido muito bacana e generosa, me deixando muito à vontade. Não só ela, mas todos os colegas que vão participar, como Gordox, Camilota e Alessandro Jodar. Fizemos alguns testes e tudo funcionou bem, então estou me sentindo muito tranquilo no meio da turma - confessou.

Everaldo não quis se arriscar a palpitar nas categorias, mas confessou quais são as premiações que ele aguarda mais para conhecer os vencedores. O experiente narrador, principalmente, quer ver quem será o melhor narrador do mundo dos eSports em 2020.

- Não tenho palpite para as categorias, mas estou muito curioso para saber quem vai ganhar o ‘Craque da Galera’, votação que segue aberta no site oficial da premiação. Quero saber também quem vai ser o ‘Melhor Caster’, afinal de contas é o que eu faço. A minha profissão é ser narrador, então vamos ver quem vai ser o melhor narrador de eSports do ano. Essa vai ser uma categoria que eu vou olhar com bastante carinho. - completou.