Edmundo - Fox Sports

Edmundo desabafou sobre relacionamento com o filho Alexandre (Foto: Reprodução)

LANCE!
02/09/2020
15:22
Rio de Janeiro (RJ)

O relacionamento entre Edmundo e o seu filho Alexandre Mortágua, fruto de uma rápida relação com ex-modelo Christina Mortágua, não é dos melhores. Em entrevista ao jornalista Felipe Campos, no Instagram, o ex-jogador abriu o jogo e desabafou sobre o tema. 

No bate-papo, Edmundo abriu o coração e disse que tem o mesmo sentimento de amor pelo filho assim como tem com os outros dois. No entanto, o ex-atleta afirmou que sempre encontrou uma resistência por parte de Alexandre e que, por isso, não conseguiu uma abertura para se reaproximar.  

- Depois que o Alexandre nasceu, eu joguei na Itália, no Japão, Belo Horizonte e Florianópolis e não consegui muito ver o crescimento dele. Isso é irrelevante, mas vai afastando. Quando voltei para o Rio, Alexandre era um homem e eu não consegui me aproximar. Não sou assim um pai maravilhoso para ele. Eu trabalho, viajo e gosto de fazer as minhas coisas, mas sempre encontrei resistência. Eu o amo igual os meus outros filhos. Mas os outros filhos vem na minha casa no dia dos pais, no Natal, no meu aniversário, me mandam mensagem - desabafou. 

Alexandre não tem contato com Edmundo há nove anos. Nos últimos meses, a relação entre o pai e o filho foi alvo de polêmica. O ex-jogador, no entanto, negou que a distância entre eles seja porque o filho é homossexual. 

- Eu tenho diversos amigos homossexuais, muitos deles famosos. E eu não tenho nenhum problema com isso. Até porque é a ideia de cada um. É algo particular. Na vida, a gente tem que ser homem e ter respeito aos mais velhos. E isso é independente da relação sexual. E isso que tento passar para o Alexandre. Tentei passar há dez anos, quando a mãe dele teve um problema com a polícia e a juíza queria que eu tivesse a guarda dele. E ele pediu para ficar com a avó, porque tinha mais afinidade com ele. E a juíza mandou que fizéssemos terapia juntos. Essa questão da sexualidade veio. Mas para mim isso não tinha importância. Nós já eramos distantes desde que ele nasceu. Não pude exercer meu poder de pai, porque eu joguei fora e precisava construir a minha vida - completou.