Mario Bittencourt - Fluminense

Mário Bittencourt agradeceu pela campanha dos torcedores para aumentar o número de sócios (Lucas Merçon/Fluminense)

Joel Silva
25/10/2019
18:33
Rio de Janeiro (RJ)

Como de costume, o presidente Mário Bittencourt concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira, situação que ocorre ao menos todo mês. Os assuntos são os mais variados: política, administrativo, esportivo ou institucional. Dentre eles, a revelação de que a próxima eleição do clube terá o voto on-line.

- Posso antecipar aqui, em que pese ter assumido o clube há quatro meses, posso dizer que orçamos o voto on-line. Ele está avançado. Temos de fazer a implementação perto de ser usado. Não tem motivo de pagar antes sem ter essa situação. A ideia é fazer alguns testes de votação online antes da eleição de 2022. Um teste pode ser a terceira camisa. Fizemos três cotações de empresas diferentes. Da contratação para implementar, leva 15 dias - comentou.

O presidente confirmou também que o dinheiro usado recentemente para pagar o salário de agosto, veio do Watford, da Inglaterra, que depositou mais um bônus por causa do atacante João Pedro, que, diante do Athletico, completou mais dez jogos no qual ele disputou ao menos 45 minutos.

- Sim, usamos o dinheiro para pagar os salários. Agora só teremos direito a receber os outros bônus na próxima temporada, dependendo do desempenho dele na Inglaterra - disse.

Com problemas financeiros e sem contar com os bônus de João Pedro, a expectativa agora é pelo recebimento de mais uma parcela da venda de Pedro para o Fiorentina. Com o valor, a diretoria espera acertar os outros pagamentos. No entanto, boa parte do valor chegou a ser penhorada.

- A gente recebeu uma penhora de R$ 7 milhões, de uma dívida oriunda da venda do Wellington Nem com o fisco federal. Além disso, tivemos outra penhora cível, essa da MPI, da venda do Gerson. A venda é parcelada e a gente ainda tem recebíveis. A gente perdeu 65% da primeira parcela. A do Nem a gente tinha de integrar o pagamento para poder discutir a dívida. A da MPI a gente ainda está discutindo um acordo - detalhou.

TABELA
Confira a classificação do Campeonato Brasileiro


Por causa de todas as dificuldades, o presidente fez questão de pedir mais uma vez o apoio dos torcedores do Fluminense, que se mobilizam nas redes sociais com a #Flu100k. Na projeção de Mário Bittencourt, o Tricolor pode aumentar a receita em 30% em caso de quadruplicar o número de sócios do clube.

- Parabéns aos torcedores pela campanha. O clube agradece o movimento. Não tem nenhum salvador da pátria aqui. O Fluminense é maior do que todos e precisa de ajuda. Somos apenas 14 mil sócios, entre proprietários, contribuintes e da modalidade futebol. Isso é muito pouco para um clube da grandeza do Fluminense. A gente precisa quadruplicar isso, no mínimo. Tem clubes que faturam de 10 a 12 vezes mais do que a gente.

OUTRAS RESPOSTAS DO PRESIDENTE

Patrocínio Master

O patrocínio master é uma ajuda, mas não vai resolver os nossos problemas. Os patrocínios que conseguimos já dá o valor de um master. As propostas são abaixo do que o clube merece e ainda acaba por desmerecer os outros parceiros que ocupam outros lugares do uniforme. Seguimos conversando. Ganhamos a eleição no meio do ano e as empresas decidem as verbas de marketing em agosto do ano anterior. Tínhamos uma negociação favorável com uma instituição financeira, mas deixaram para depois. Seguimos trabalhando e em breve nós vamos ter.

Portal da transparência
Estamos desenvolvendo ainda. O torcedor tem de entender que isso é uma ferramenta que ele terá acesso pelo site. Contratamos algumas empresas, que nos deram orçamento. Ele está sendo desenvolvido dentro das nossas dificuldades financeiras. Imaginamos que entraria no ar em outubro. Por conta do desenvolvimento, ele entrara no ar entre dezembro e janeiro. Todas as informações do clube são divulgadas no balanço. Os números são publicados ano a ano. A ideia do Portal da Transparência é ser mensal, para a gente dar ciência ao torcedor.

Reforma das Laranjeiras
Não há condições financeiras de o clube investir um centavo na construção ou reforma de um estádio. Ainda temos de acabar o CT. O projeto deles prevê a captação de recursos. Esse grupo já se reuniu comigo e temos nova reunião no dia 6 de novembro. Além do grupo deles, montei uma comissão interna para avaliar a situação. Eu continuo apoiando o projeto. Mas entre apoiar e conseguir viabilizar é diferente. Não vou usar isso de maneira popularesca. Isso não será resolvido de forma rápida.

Gastos com Esportes Olímpicos
- Há profissionais que estão fazendo análise dos custos de todos os departamentos do clube. Não vou citar nomes e situações, mas identificamos algumas coisas mal computadas. Tem departamento do clube que usa a água e não paga, quem paga é outro departamento. Estamos identificando isso e depois vamos apresentar internamente quem terá de apertar o sapato e quem terá de buscar receitas. Eu posso afirmar que 90% da receita é do futebol, mas também 90% é gasto no futebol. Queremos implementar um modelo que independa das pessoas. Meu legado será deixar isso. O Fluminense tem de funcionar de forma automática.