CT do Fluminense

CT do Fluminense passa por obras de melhoria (Foto: Divulgação)

Luiza Sá e Marcello Neves
22/01/2019
15:46
Rio de Janeiro (RJ)

O Fluminense iniciou mais uma etapa de melhorias e finalização do CT Pedro Antonio, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O projeto da sala de imprensa tem previsão para lançamento em abril, como informado inicialmente pelo 'Globoesporte' e confirmado pelo LANCE!. As obras devem contar ainda com um auditório para 50 pessoas.

No entanto, essa sala de imprensa não é o ambiente construído pelo ex-conselheiro que dá nome do local de treinamentos do Flu. Pedro Antonio afirmou, quando deixou o clube, em 2017, que havia deixado a instalação pronta no CT. O L! apurou que o clube, porém, junto a profissionais da área e arquitetos, observou que o ambiente não era apropriado.

A avaliação detectou o local como pequeno, triangular e tem uma pilastra que atrapalharia o trabalho, sem ser adequado para as atividades. Além disso, não houve um projeto arquitetônico e acústico tanto para as entrevistas coletivas quanto para o trabalho da imprensa, falta rebaixamento de teto, isolamento acústico e palco.

A nova sala tem 100m2 a mais e os jornalistas terão uma área de trabalho, com baias e wi-fi, algo que não exite atualmente. As coletivas do time, por exemplo, são realizadas em um espaço improvisado. Outras duas obras estão sendo realizadas atualmente no CT. Uma com a construção do terceiro campo e outra é a finalização da rua para modificar o acesso.

Em contato com a reportagem do LANCE!, Pedro Antonio criticou a postura do Tricolor e explicou o funcionamento das salas do CT.

- O Fluminense avaliou que a sala não era quadrada ou retangular, não tinha boa acústica. Pelo que vi da foto do projeto, pareceu que mudaram de lugar. O que me surpreende é que decidiram criticar um projeto, apesar de ter sido amplamente conhecido - inclusive pelo presidente - o que era cada ambiente do CT. São duas coisas que existem: sala de imprensa e sala para depoimentos para a imprensa. Ano passado, nas Laranjeiras, a sala era única. Nós fizemos dois ambientes: a sala de imprensa tem uma porta de vidro dupla que é para o jornalista trabalhar. Essa sala está pronta dede a época que eu sai do Fluminense. Não entreguei antes para não ter a crítica de que não estava pronto - disse.

- A sala da imprensa não é a sala para entrevistas. O auditório é o lugar para isso. Ali tem acústica, equipamento de som e lugar para câmeras. Esse é o projeto. Assim foi definido e pela primeira vez vejo alguém do Fluminense fazer uma crítica sem parar para pensar. Se não quer me perguntar por motivos políticos, pergunte ao arquiteto. Pelo desenho divulgado, vão fazer a sala de imprensa e de apresentação no salão onde vem ocorrendo normalmente, no refeitório. Depois, vai ser onde o refeitório? Onde será o refeitório se estão acabando com o refeitório? - continuou o ex-conselheiro.

- É um erro simples, dizer que uma sala de trabalho não tem uma boa acústica não se tem nada com nada. Nunca ninguém criticou isso. Todo mundo acha bonito. O desenho não é por opção, é por espaço. Só no momento politico tem essas criticas. O terreno que a prefeitura nos deu é um triangulo. Tinha que colocar três campos e um prédio. Por isso tem unidades separadas. Se esses politiqueiros tivesse se dado ao trabalho para ir de madrugada ver o nosso trabalho, isso tudo era explicado. O que me surpreende é esse jogo politico. Não apareceram, não sabem nada, não perguntam nada. É surpreendente. Lamento pela falta de respeito com as pessoas que construíram o CT - finalizou.

* Matéria atualizada às 19h25 com a resposta de Pedro Antonio