Luiza Sá
07/01/2022
13:59
Rio de Janeiro (RJ)

O Fluminense se manteve parcialmente em dia com jogadores e funcionários ao acertar os salários referentes a dezembro nesta sexta-feira, fato revelado pelo presidente Mário Bittencourt em entrevista coletiva no CT Carlos Castilho. O presidente ainda explicou que o clube pagou apenas um terço do valor do 13º e pretende parcelar o que resta. Há ainda a dívida do terço adicional das férias de 2019 para 2020.

- Acabamos de pagar o salário de dezembro, que vence em janeiro. A folha salarial de todos do clube e direitos de imagem estão em dia. Pagamos um terço do 13º agora e o restante queremos pagar em duas parcelas - explicou.

Em meio a diversas contratações, um dos fatores que complicou foi a perda dos valores de transmissão de TV do Campeonato Carioca, que entrariam nos primeiros meses do ano, mas acabaram após a rescisão com a Globo em 2021.

- Durante 2021 quitamos todos os meses e ficamos minimamente em dia. Nos últimos anos no Brasil os meses tem 120 dias, os clubes ficam meses sem pagar. O mês de dezembro é pesado porque se paga o mês e o 13º, a folha custa o dobro. Parte da remuneração dos atletas é CLT. Em 5 de dezembro pagamos o salário de novembro, em dia. Em dezembro, dia 20, temos que pagar o 13º e em 5 de janeiro a outra folha. O contrato de televisão caiu e perdemos a receita do Carioca, praticamente não temos cota nenhuma de TV nos primeiros meses do ano. Em 2021 conseguimos pela rescisão do Estadual.

O clube conseguiu manter os vencimentos em dia ou próximo disso, às vezes com algum atraso mais curto, ao longo de 2021. Em abril, o Fluminense conseguiu ficar sem dívidas com os funcionários e atletas pela primeira vez desde 2018.

Mário Bittencourt - Fluminense
Mário Bittencourt, durante coletiva no Fluminense (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)