Fernando Diniz

Fernando Diniz terá tempo para corrigir as falhas e melhorar as virtudes do Tricolor (Foto: Divulgação/Fluminense)

Joel Silva
22/06/2019
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

Na próxima segunda-feira, o elenco do Fluminense se reapresenta no CTPA, iniciando a preparação para o restante da temporada. O técnico Fernando Diniz vai ter três semanas para treinar os jogadores até a partida contra o Ceará, dia 15 de julho, no Maracanã, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro.

Além da competição nacional, o Tricolor também disputa a Copa Sul-Americana. Para conseguir alcançar os objetivos do segundo semestre, Fernando Diniz terá muito trabalho pela frente.

Fragilidade defensiva

Começando pelo sistema defensivo, que apresentou muita fragilidade durante o ano. Em 36 jogos, o Tricolor sofreu 37 gols, sendo vazado em 25 partidas. Para amenizar o problema, a diretoria busca a contratação de um goleiro e Walter, do Corinthians, está em pauta. A princípio, essa é a prioridade para reforçar o setor, já que outros jogadores que podem ajudar estão saindo do departamento médico.

Reforços caseiros

Para o restante da temporada, o técnico Fernando Diniz não vai poder contar com Matheus Ferraz, que rompeu o ligamento cruzado do joelho direito e não joga mais esse ano. No entanto, o treinador vai poder contar com Digão, que está recuperado após ter sofrido uma fratura na fíbula da perna esquerda.

Além do zagueiro, Bruno Silva também vai estar à disposição no reinício da temporada. O volante, que não atua desde a vitória do Fluminense sobre o Grêmio por 5 a 4, foi submetido a uma artroscopia no joelho esquerdo, mas já está em fase final no trabalho de transição física. Léo Santos ainda está em recuperação de uma cirurgia no joelho direito e pode voltar apenas em agosto.

Opções ofensivas

Se a defesa foi o ponto fraco do Fluminense, o setor ofensivo representou o que o time tem de melhor. Foram 60 gols, passando em branco em apenas 10 jogos. A tendência é aumentar o poderio ofensivo, já que Pedro vai estar mais próximo do auge físico, se tornando uma ótima opção no comando de ataque.

Soma-se a ele, Yony González, recuperado de um problema muscular que o tirou das últimas três rodadas, e Luciano, que sem propostas, deve permanecer do Fluminense. Além dos citados, o elenco conta com João Pedro, Marcos Paulo, Brenner, Ewandro, Kelvin e Pablo Dyego. Portanto, opções é o que não faltam para Fernando Diniz montar o ataque tricolor.