Torcedores do Fluminense protestam em Laranjeiras

Torcedores do Fluminense protestam em frente a sede do clube, em Laranjeiras (Reprodução)

LANCE!
19/06/2018
22:47
Rio de Janeiro (RJ)

O clima esquentou na sede do Fluminense, nas Laranjeiras, Zona Sul do Rio de Janeiro, na noite desta terça-feira. Um grupo de aproximadamente 50 torcedores tentou invadir o local durante a reunião do Conselho Deliberativo. Durante a ação, gritos de protestos contra o presidente Pedro Abad puderam ser ouvidos. 

Diferentemente do que aconteceu em janeiro, desta vez, os manifestantes não conseguiram entrar no clube, que reforçou a segurança e contou também com a presença de policiais militares, impedindo o avanço dos tricolores.

Desta forma, aqueles que participavam da movimentação ficaram na Rua Álvaro Chaves, onde fica localizada a entrada principal da sede e, com gritos de ordem, chegaram a pedir a renúncia de Abad, eleito no fim de 2016.

Os manifestantes colaram ainda, no muro das Laranjeiras, uma carta simbólica da renúncia de Abad. O documento, que foi deixado na mesa do Conselho, no Salão Nobre, por integrantes do grupo que eram sócios do Fluminense, lembrava as recentes saídas do CEO Marcus Vinicius Freire, do diretor de futebol Paulo Autuori e do técnico Abel Braga, afirmava que o mandatário está levando o clube para o fundo do poço e pedia ainda que Fernando Leite, presidente do Conselho Deliberativo, assume o clube de forma transitória.

Carta entregue em protesto da torcida do Flu
Carta entregue em protesto da torcida do Flu (Reprodução)

Os convocados para a reunião para explicações sobre as respectivas áreas, Marcus Vinicius Freire, Rogério Romano (área social), Lawrence Magrath (marketing) e Fernando Simone (assessor especial da presidência), não compareceram com a alegação de que fazem parte da gestão. O tesoureiro Claudio Barçante representou o Conselho Diretor.

Além disso, membros da "Flusócio" e "Esportes Olímpicos", grupos políticos que apoiam Abad, foram instruídos a não irem ao encontro, que, segundo eles, tinha a intenção de desestabilizar a atual gestão.