LANCE!
26/12/2018
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

Se no futebol profissional o ano foi de dificuldades e briga contra o rebaixamento, na base do Fluminense o cenário é considerado animador, mesmo com o orçamento também limitado. Em 2018, foram 15 títulos conquistados e 11 vices, além de convocações para seleções, indo na contramão do baixo orçamento do clube no ano.

Sem verba, além dos salários atrasados, o que se viu em Xerém foi uma grande limitação em contratações e falta de dinheiro para torneios no exterior. Nos últimos anos, a base do Flu não serviu apenas para revelar jogadores no Brasil, mas também para a composição do elenco profissional.

O sub-20 conquistou a Taça Rio e foi segundo na OPG. Já o sub-17, que é a grande geração tricolor neste momento, venceu o Estadual e chegou até a final na Copa do Brasil e na Taça BH. O sub-16 foi vice-campeão no Carioca e na Copa Xerém. No sub-15, título da Copa da Amizade Brasil e Japão e segundo lugar no Estadual da categoria.

O sub-11, o sub-12 e o sub-13 ganharam a Taça Donos da Bola (estadual do primeiro semestre). O sub-12 levou ainda o Metropolitano (estadual do segundo semestre). O sub-14 levantou Estadual, Taça Rio e Copa Nacional VR Cup.

O resultado do trabalho é visto também nas finanças. O jovem atacante João Pedro foi vendido ao Watford (ING), enquanto Marcos Paulo já é visado no mercado exterior. Ambos estão no sub-17 e, inclusive, vão passar por etapa de testes na pré-temporada do profissional. Zé Ricardo, Denilson e Caio, do sub-20, sobem de maneira definitiva.