Goleiros Fluminense

Muriel, Marcos Felipe e Fábio disputam vaga no gol do Fluminense (Fotos: Eldio Suzano/Lancepress! LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C. Mailson Santana/FFC)

LANCE!
21/01/2022
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

O Fluminense tem um novo goleiro para esta temporada. Fábio, ex-Cruzeiro, assinou com o Tricolor e foi anunciado na última quarta-feira. O setor não era tratado como prioridade pela diretoria, que buscou outros sete reforços na linha. Entretanto, a oportunidade surgiu e agora a disputa por uma vaga fica ainda mais intensa. A meta vinha sendo ocupada por Marcos Felipe e Muriel, na ausência do titular. Os jovens da base Pedro Rangel e Gustavo Ramalho seriam as outras opções.

Quem pode ter se dado pior nessa história é Muriel. Quando chegou ao Flu em 2019, o goleiro foi a solução diante de uma crise na posição. Entretanto, ao final de sua primeira temporada, ele sofreu uma fratura no dedo esquerdo e teve a sequência prejudicada. Em 2020, retornou e defendeu em 63 jogos, sofrendo 40 gols. Mas, diante das críticas e falhas, quem terminou a campanha foi Marcos Felipe.

Ainda não é assinante do Cariocão-2022? Acesse www.cariocaoplay.com.br, preencha o cadastro e ganhe 5% de desconto com o cupom especial do LANCE!: GE-JK-FF-ZSW

Sem espaço, Muriel chegou a receber sondagens no fim do ano, mas, até o momento, permanece e está nos planos de Abel. Na temporada 2021, o experiente goleiro perdeu espaço de vez e só entrou em campo duas vezes e apenas para poupar Marcos Felipe por conta da sequência de jogos. Em três anos no clube, ele passou por duas cobranças de pênaltis, oito deles convertidos. Quatro não resultaram em gols, mas apenas dois por defesas dele.

Quem passou de quarto goleiro a titular em alguns anos foi Marcos Felipe. Ele se consolidou de vez quando Marcão assumiu a vaga de Odair Hellmann, no fim de 2020. No ano passado, foi titular absoluto mesmo com algumas falhas, como o pênalti cometido na estreia da Libertadores diante do River Plate (ARG), no Maracanã. Chegou a ser criticado, mas tinha a confiança da comissão e da diretoria a todo momento.

Em 65 jogos, o cria de Xerém sofreu 65 gols. Contudo, o goleiro de 25 anos foi questionado principalmente pela falta de defesas de pênaltis. Na temporada, em que o Tricolor cometeu mais penalidades no século (19), apenas um parou nas mãos dele. Mesmo assim, o arqueiro se destacou e foi o primeiro da Série A em defesas difíceis.

Quem chega para apimentar a disputa é Fábio, que atuava pelo Cruzeiro e completou 54 jogos, sofrendo 51 gols durante o ano. De seis pênaltis que precisou defender, apenas dois não foram convertidos. Ainda assim, foi capitão da Raposa por anos e reconhecido como uma das peças fundamentais do elenco para evitar o rebaixamento para a Série C, tanto em 2020 quanto em 2021. Aos 41 anos, já participou de oito edições da Libertadores e pode agregar a experiência que o clube procura para compor o elenco. 

Ainda em pré-temporada, a chegada de Fábio torna a vaga principal na meta uma incógnita. Com três goleiros experientes, a ideia do Fluminense é não passar perrengues. Marcos Felipe, por exemplo, está em reta final de Covid-19. Caso outro se lesionasse em uma partida importante, a bomba poderia cair no colo de algum dos dois jovens que nem estrearam no profissional.

O Fluminense estreia no Campeonato Carioca no próximo dia 27, quinta-feira, diante do Bangu. A partida será às 21h, no Luso-Brasileiro. Fábio ainda precisa sair no BID para estrear, mas os outros reforços já estão registrados.