Celso Barros

Celso Barros está afastado do cargo de vice-presidente do Fluminense (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)

LANCE!
20/11/2020
15:09
Rio de Janeiro (RJ)

Afastado do cargo de vice-presidente há mais de um ano, Celso Barros utilizou as redes sociais para comentar a novela da renovação de Dodi, que chegou ao fim nesta quinta-feira sem acordo. Além da análise do episódio, o ex-presidente da Unimed alfinetou o presidente Mário Bittencourt e um dos empresários do jogador, Márcio Bittencourt - sem qualquer parentesco com o presidente tricolor.

Celso citou o representante de Dodi para comparar o caso com o de Danielzinho, que se transferiu para o Bahia no início deste ano. Na época, o clube também viveu uma longa tentativa de extensão do vínculo, que acabou não dando certo.

- O atual episódio do atleta Dodi esse ano, em muito se assemelha com o de Danielzinho, no período em que eu estava no futebol do Flu. Jogadores e atletas, seis meses antes do final de contrato, procuram ser valorizados pelo trabalho que realizaram no clube. Nada de anormal nisso. No entanto, o que não é normal é a forma com que alguns empresários tocam essas negociações. Existe sempre o discurso em que dizem que o jogador sempre quer ficar no clube e ao final o atleta vai embora - escreveu Celso Barros.

- Nestes dois episódios esteve presente o empresário Marcio Bittencourt, que é visto no futebol do Flu como uma pessoa que gosta e sempre pensa no melhor para o clube. É o famoso “me engana, que eu gosto”. Por último, caro presidente, é como diz outra expressão popular: ”O pau que dá em Chico, dá em Francisco.” ST - completou.

Falando na situação de Daniel, Celso Barros já havia se envolvido em polêmica após criticar o meia do Bahia após a partida contra o Fluminense. Quando foi elogiar a vitória por 1 a 0, o dirigente afirmou que "um fato interessante, é que Nenê correu mais que o Danielzinho". O jogador respondeu, chamando-o de "comentarista de sofá".