Rogério Ceni - Flamengo

Rogério Ceni durante a partida no Morumbi (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

LANCE!
25/02/2021
23:33
São Paulo (SP)

Com apenas três meses de clube, Rogério Ceni entrou para a história do Flamengo. Nesta quinta-feira, o treinador conquistou o título do Brasileirão com o Rubro-Negro, apesar da derrota para o São Paulo no Morumbi. Durante a celebração no gramado, ele concedeu entrevista e não escondeu a felicidade.

+ Os números dos principais nomes do Flamengo na campanha do Octa!

- Fico feliz porque tive oportunidade de conquistar três campeonatos com o São Paulo, um com o Fortaleza na Série B. Foi o que me trouxe até aqui. Falo que o Flamengo é diferente. Vi hoje na Rocinha o jogo ser passado no telão. E tenho certeza que apesar de o resultado não ter sido aquele que a gente desejava, tenho certeza que o Rio vai amanhecer mais alegre. A alegria dessas pessoas é ver o Flamengo ser campeão, ver o Flamengo vencer.

Muito festejado pelo elenco após o apito final, o técnico comentou sobre a campanha como um todo e ressaltou o sabor especial em conquistar a taça dentro do Morumbi.

- Como um todo no campeonato de pontos corridos, conseguimos a melhor campanha. Uma pena ter saído derrotado, mas a alegria do campeão perdura pelo resto da vida. Foi um momento que não começamos bem o ano, uma virada de chave, recuar o Arão, botar o Diego de 10. Rodrigo Caio sentido lesão, Arão sem condição de jogo. Eles se recuperaram dentro de campo. Mas não conseguimos o resultado.

- Algumas falhas, não conseguimos desenvolver grande futebol, pressionamos no primeiro tempo. Uma jogada que errada uma marcação de falta que era ao nosso favor, acabou originando o gol do São Paulo. Ser campeão aqui, no lugar que tenho um carinho muito grande, respeito muito grande. E hoje num clube grande do Flamengo. É isso que falo sobre inserção social. Tenho certeza que o Rio de Janeiro hoje está parado.

Com o título, Rogério Ceni se tornou o oitavo a conquistar o Brasileirão como jogador e técnico. Antes dele, Paulo César Carpegiani, Carlos Alberto Torres, Pepe, Joel Santana, Emerson Leão, Muricy Ramalho e Andrade já haviam atingido esse feito.