Eduardo Paes - Prefeito Rio de Janeiro

Eduardo Paes está em seu primeiro ano do atual mandato na Prefeitura do Rio (Foto: Reprodução / CNN)

LANCE!
28/07/2021
11:58
Rio de Janeiro (RJ)

A resposta de Eduardo Paes a um questionamento maquiado de pressão de Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo, veio em tom apaziguador, também no Twitter, com direito à brincadeira sobre o fato de o prefeito do Rio de Janeiro torcer para o Vasco e pedido anti-radicalismos, em um primeiro momento. 

Paes avisou que a autorização para a presença de público no Maracanã depende do aval da Secretaria de Saúde:

- Vereador (referindo a Braz), na hora que a Secretaria de Saúde autorizar. Doido para ver o Rio voltar ao normal. Inclusive com as vitórias e títulos do Flamengo. Se puder (o que anda difícil) com o meu Vascão também fazendo bonito! As autoridades sanitárias me comandam. Sem radicalismos. Nem de um lado nem de outro - postou o prefeito do Rio (veja o diálogo abaixo):

'VOCÊS NÃO ME AJUDAM A AJUDAR'

Em seguida, Eduardo Paes seguiu na rede social e avisou, após consultar o secretário de saúde (Daniel Soranz), que o protocolo apresentado pelo Flamengo foi "bem ruim"

- Acabei de me informar aqui com o secretário de saúde, e ele me disse que não há ainda qualquer consulta formal do Flamengo sobre a possibilidade de realização de qualquer jogo. Me disse que representantes do clube estiveram com ele e apresentaram um protocolo bem ruim.

- Ele teria sugerido adaptações e solicitado uma nova proposta para ser analisada. Isso ainda não aconteceu. Assim vocês não me ajudam a ajudar o pleito de vocês. A decisão é dos técnicos da saúde. No tweet não leva. Se é que me entendes... Grande abraço - concluiu.

Marcos Braz, então, retrucou:

- Tomara que seja o mesmo profissional de saúde que liberou para Copa América e final da Libertadores. Estou na torcida.

Eduardo Paes ainda respondeu em cima do comentário e falou sobre o percentual sugerido pelo Flamengo (veja mais abaixo):

- Em tempo: ambas as finais solicitaram 10% de ocupação. Me parece (parece porque é tudo "de boca" ou no tweeter) que vocês querem 30%. Quem sabe pleiteando o mesmo já que é essa a sua base de comparação. Formaliza aí. Aguardamos ansiosos. E publica a cópia do pleito aqui.

Há cinco dias, o Flamengo enviou um protocolo à Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro em que solicita a liberação de público em jogos no Maracanã, visando ao duelo da volta das quartas da Libertadores, contra o Olimpia-PAR, dia 18. No entanto, o clube ainda tem esbarrado na resistência de Paes e, por isso, estuda outras duas opções para atuar com público após convites: João Pessoa, capital da Paraíba, e Brasília, capital federal.

+ Fla na cola do G-4: veja a tabela completa do Brasileirão

Sobretudo de olho na Libertadores, a prioridade do Flamengo, que viu os custos operacionais em Brasília serem altos e um público aquém do esperado nas oitavas do torneio (cerca de 5 mil pessoas), segue sendo conseguir viabilizar a autorização de 30% da capacidade total do Maracanã - aproximadamente 23 mil pessoas - junto à Prefeitura do Rio.

* Nota atualizada às 12h25