Jorge Jesus - Flamengo

Foto: Marcelo Cortes / Flamengo

Fabio Chiorino e Rodrigo Borges 
20/07/2020
07:20
São Paulo (SP)

O baque era inevitável. Após comemorar a renovação durante a paralisação dos campeonatos, o Flamengo viu Jorge Jesus fazer valer a cláusula que o liberava diante de propostas de alguns clubes europeus. O Benfica estava nesta lista e, mesmo passando por crise político-financeira, acertou o retorno do técnico, que se despediu do Rubro-Negro com o título carioca, o quinto em pouco mais de um ano. Não há tempo para lamber feridas.

O Flamengo precisa agir rápido: o Campeonato Brasileiro começará no início de agosto e a Libertadores, ao que tudo indica, terá reinício em setembro. Mas a diretoria dificilmente vai mudar completamente a fórmula do sucesso: um técnico estrangeiro mais uma vez deve ser a prioridade e há boas possibilidades sobre a mesa.


Não há tempo, porém, para negociações longas e a situação do Brasil, um dos países mais afetados pela pandemia do coronavírus, pode ser um obstáculo neste roteiro. Ter que recorrer novamente a um técnico brasileiro seria preocupante: faltam opções no mercado condizentes com a nova mentalidade técnica do clube.

Jorge Jesus tornou um ótimo elenco em um grupo não só vencedor, como também brilhante com a bola nos pés. Para transformar o legado em convicção, o Flamengo sabe que não pode dar um passo para trás. É preciso, novamente, mirar além das fronteiras.

O LANCE! Espresso é uma newsletter gratuita que chega de manhã ao seu e-mail, de segunda a sexta. Leitura rápida, que vai colocar você por dentro das principais notícias do esporte. A marca registrada do jornalismo do LANCE!, com análises de Fabio Chiorino e Rodrigo Borges. Clique aqui e inscreva-se.