Leonardo Jardim - Monaco x Borussia Dortmund

Leonardo Jardim está, atualmente, livre no mercado (Foto: Boris Horvat / AFP)

Lazlo Dalfovo
18/07/2020
17:56
Rio de Janeiro (RJ)

Parte da torcida parece estar satisfeita com a possibilidade de Leonardo Jardim ser o substituto de Jorge Jesus, seu compatriota, no Flamengo - tanto que diversos perfis de rubro-negros invadiram o do técnico de 45 anos nas redes sociais. Internamente, o Rubro-Negro tem o treinador como o principal alvo, sobretudo pelo nome agradar membros do departamento de futebol e estar livre no mercado.

Outros nomes gringos também estão sendo estudados, e o de Jardim agrada também pelo perfil ofensivo. Nascido na Venezuela e filho de imigrantes portugueses, foi para a Madeira - ainda aos três anos - e deu os primeiros passos na profissão como auxiliar, em equipes pequenas de Portugal.

Como técnico, cujo sonho foi exposto aos pais quando tinha 15 anos (motivado a dirigir o Sporting de Lisboa), Jardim teve o seu trabalho inicial em 2003, no Camacha (POR), onde ficou por cinco temporadas. 

- Ele sempre quis ser treinador. Enquanto a maior parte dos miúdos (crianças) sonha ser jogador, ele sonhava ser treinador - falou o pai Antônio, em entrevista ao site lusitano "Mais Futebol". 

Leonardo Jardim - Sporting
Sonho realizado: Jardim treinou o Sporting em 2013/14 (Foto: AFP)

Com apenas 24 anos, Leonardo Jardim já estava apto a ser treinador, após as licenciaturas apropriadas. Da nova geração portuguesa assim como Marcos Silva, também cotado no Fla (com menos força), Jardim tem a fama de "não complicar" e ser resiliente em seus trabalhos. 

- O treinador adora complicar tudo: que não tem campos para treinar, que não tem condições e que assim não pode trabalhar. Ele é o contrário, não complica. Trabalha com o que há, não arranja problemas e, quando eles aparecem, e apareciam muitos, tratava de os resolver com o mínimo de danos - disse Marcelo Delgado, ex-presidente do Desportivo de Chaves, um dos primeiros clubes a abrir as portas para Leonardo ser técnico profissional.

- O que mais me surpreendeu na primeira conversa com ele foi a capacidade de simplificar as coisas - completou Delgado. 

O AUGE NO MONACO

Leonardo Jardim - Monaco x Manchester City
Jardim já desbancou o City de Pep Guardiola, nas oitavas da Liga dos Campeões de 2016/17 (Foto: Pascal Guyot / AFP)

Apesar do histórico em Portugal e da passagem efêmera, mas exitosa, na Grécia (Olympiacos), Leonardo Jardim viveu o seu auge (até aqui) na França - mais precisamente no Monaco. 

Leonardo Jardim, assim como Jorge Jesus, é conhecido por ser ofensivista, ou seja, montar equipes que visam o ataque incondicionalmente. Em seu trabalho de maior sucesso, utilizou um tradicional 4-4-2 na equipe do Principado, recheada de alternativas para criar, tanto pelos flancos, quanto por dentro. 


Não à toa, o trabalho no Monaco da temporada 2016/17, a sua "magnum opus" para muitos críticos, culminou na conquista da Ligue 1, desbancando o poderoso Paris Saint-Germain. E detalhe: o seu time, na ocasião, terminou o Francês com incríveis 107 gols marcados (o PSG marcou 82, a título de comparação). Fora o ataque mais letal do continente.

O Monaco daquele ano contava com dois laterais contundentes no apoio (Sidibé e Benjamin Mendy), dois volantes construtores (como Fabinho e João Moutinho), dois meias dinâmicos e criativos (Lemar e Bernardo Silva) e 
dois "avançados" de peso: Falcao García e Mbappé. Jardim moldava a sua equipe sem grandes variações, mas com imposição física e controle das ações, com a bola chegando ao ataque com objetividade e verticalidade, quase sempre (mais uma proximidade com o Flamengo de Jorge Jesus...).

O time de 2016/17 elevava as suas individualidades através do coletivo, o que acabou fazendo com que muitas peças, nas temporadas seguintes, rumassem para clubes de maior expressão na Europa - como Mendy e Bernardo Silva (Manchester City), Lemar (Atlético de Madrid), Mbappé (PSG) e Fabinho (Liverpool).

DEIXOU GUARDIOLA PELO CAMINHO

Nas Liga dos Campeões de 2016/17, faltou um passo para a final, já que o time monegasco parou nas semifinais, sendo eliminado para a Juventus. Antes, eliminou Manchester City (de Pep Guardiola), após confrontos épicos, e Borussia Dortmund, permitindo que o nome de Jardim ecoasse como um dos mais promissores do Velho Continente.

Nos anos seguintes, Jardim não repetiu o sucesso e foi demitido duas vezes em um intervalo de, aproximadamente, um ano - a última demissão ocorreu em dezembro de 2019. Desde então, está sem clube. 

BRAZ FOI ATRÁS DELE?

Como de praxe, Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo, utilizou a sua conta no Twitter para fazer uma postagem enigmática. Na última noite, postou uma foto em que aparece o seu passaporte português, com a legenda "gelo no sangue" (em emojis), a caminho de Portugal (ao que indica).

Como o Flamengo abordará Leonardo Jardim para tratar das negociações, não tardou para que a referência fosse feita. A aguardar os próximos passos das conversas e se, de fato, o venezuelano naturalizado português fará valer a atual preferência da diretoria, que corre para anunciar um novo técnico.

E é inegável: o histórico de Leonardo Jardim é um alento para os rubro-negros dilacerados após a saída de Jorge Jesus.

FICHA DE LEONARDO JARDIM

Nome: José Leonardo Nunes Alves Sousa Jardim
Idade: 45 anos
Nascimento: Barcelona (Venezuela)
Clube: atualmente sem clube

LEONARDO JARDIM COMO TÉCNICO

- Camacha (Portugal) - 2003 a 2008
- Desportivo de Chaves (Portugal) - 2008 a 2009
- Beira Mar (Portugal) - 2009 a 2011
- Braga (Portugal) - 2011 a 2012
- Olympiacos (Grécia) - 2012 a 2013
- Sporting (Portugal) - 2013 a 2014
- Monaco (França) - 2014 a 2018 e 2019 / Duas passagens

TÍTULOS DE LEONARDO JARDIM

- II Liga Portuguesa (2009/10)
- Liga Grega (2012/13)
- Copa da Grécia (2012/13)
- Liga Francesa (2016/17)