Paulo Sousa - Técnico do Flamengo

Paulo Sousa não é mais o treinador do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

LANCE!
09/06/2022
18:42
Bragança Paulista (SP)

Chegou ao fim a passagem de Paulo Sousa pelo Flamengo. O treinador não resistiu à pressão por resultados e desempenhos melhores e foi comunicado da demissão nesta quinta, após comandar treino em Atibaia, em reunião com os dirigentes do clube. O Flamengo tem tudo acertado com Dorival Júnior para substituí-lo.

Landim mantém técnicos cerca de seis meses no Flamengo: relembre nomes e períodos

A informação foi inicialmente publicada pelo portal "S1 Live". Após a atividade em Atibaia, Marcos Braz, Bruno Spindel e Diogo Lemos reuniram-se com o treinador para informar a decisão do clube. Na sequência, às 18h48, o Flamengo confirmou a demissão do técnico.

- O Clube de Regatas do Flamengo informa que o treinador Paulo Sousa e sua comissão técnica não comandam mais o time profissional. A atividade da próxima sexta-feira (10) será dirigida por Mario Jorge, técnico do sub-20 - informou o clube.

O contrato de Paulo Sousa - que pagou a multa rescisória para deixar a seleção da Polônia - era válido até dezembro de 2023. Com a demissão, o Flamengo terá que pagar uma multa referente aos salários até o final de 2022 ao treinador, como estipulado em vínculo. O valor a ser pago é próximo de R$ 7 milhões.

Além do treinador, deixam o clube os auxiliares Manuel Cordeiro e Victor Sanchez, os preparadores Antonio Gómez e Lluis Sala, o preparador de goleiros Paulo Grilo e o analista de desempenho Cosimo Cappagli.

Paulo Sousa foi contratado em dezembro de 2021, chegando ao Ninho do Urubu em janeiro com a missão de comandar uma reformulação no elenco profissional. Foram mais de 15 saídas ao longo do ano e cinco reforços contratados desde a sua chegada. O time, contudo, não engrenou, e, em nenhum momento, aliou resultado e desempenho. Foram 19 vitórias, sete empates e seis derrotas sob o comando do português.

O técnico iniciou o trabalho apostando em um sistema com três zagueiros, ao qual os atletas não se adaptaram. Com o início do Brasileirão, Paulo Sousa passou a escalar um time mais próximo do que teve bom desempenho nos últimos anos, mas não houve evolução.

De ponto positivo, fica a utilização de jovens da base, como João Gomes e Lázaro, que se firmaram como opções importantes dentro do elenco, além das primeiras chances dadas a outros garotos do Ninho, como os promissores Matheus França e Victor Hugo.