Cruzeiro x Emelec

O jogo do Cruzeiro foi errático e sem concentração na maior parte do tempo, o que custou a vitória- Vinnicius Silva/Cruzeiro

Valinor Conteúdo
08/05/2019
21:19
Belo Horizonte

O Cruzeiro fez o seu pior jogo nesta edição da Libertadores e perdeu para o Emelec-EQU por 2 a 1, no Mineirão, na noite desta quarta-feira, gols de Brayan Angulo e Rojas. Sassá descontou para a Raposa. Já classificado, o time mineiro precisava apenas de um empate para ser a melhor equipe da fase de grupos da competição sul-americana sem depender de outros resultados.

Porém, em um jogo desconcentrado da equipe, permitiu que os equatorianos saíssem de Belo Horizonte com os três pontos, conseguindo a primeira vitória sobre a Raposa em sua história e ainda o segundo lugar do Grupo B, sem depender do resultado de Huracán e Deportivo Lara.

Primeiro tempo displicente

O Emelec não mereceu o gol que marcou no fim do primeiro tempo. O Cruzeiro ofereceu a chance ao time equatoriano de abrir o placar ao dar uma grande bobeira em uma troca de passes próximo a sua área, quando Rodriguinho perdeu a bola e o meia Rojas acertou um belo chute, além de contar com a sorte de a bola bater na trave e acertar nas costas do goleiro Fábio.

A equipe estrelada fez uma primeira etapa sem concentração, muito displicente, achando que poderia marcar a qualquer momento e se esqueceu que o jogo tinha muito valor para o Emelec, que buscava a classificação às oitavas de final. Jogadores como Rafinha e Ariel Cabral não aproveitaram bem a chance que receberam de Mano Menezes. O treinador cruzeirense entendeu o recado e fez duas substituições de cara, sacando a dupla na volta do intervalo. Robinho e David entraram.

Mano vai para cima

O treinador cruzeirense começou o jogo com três volantes e ainda sim viu sua equipe fazer uma primeira etapa ruim. Por isso, ousou no segundo tempo e foi para cima do Emelec. Mano tirou dois volantes, deixando a equipe apenas com Henrique como homem de contenção, tendo ao mesmo tempo em campo Thiago Neves, que entrou na vaga de Jadson, Rodriguinho, David, Sassá e Robinho.

A postura mais avançada do time foi recompensada com o gol de Sassá, que também não fez um bom primeiro tempo. O substituto de Fred deixou sua marca e aliviou o torcedor cruzeirense, até o fim do segundo tempo, quando Edilson cometeu pênalti, aos 43 minutos do segundo tempo, gerando o segundo gol do Emelec.

Mais uma vez, a dobradinha Rodriguinho e Thiago Neves, com o bom apoio de Robinho, deu uma alternativa diferente dentro de campo para a Raposa. Em casos de necessidade, o Cruzeiro poderá recorrer a essa variação tática, pois ganha força ofensiva e qualidade para o último passe, com Robinho organizando bem a saída de bola. Todavia, terá de garantir o setor defensivo.

Vacilo no final

Com o jogo na mão, o Cruzeiro estava bem no jogo, mas não conseguiu manter o Emelec no seu campo e permitiu que os equatorianos conseguissem um pênalti, convertido por Bryan Angulo, garantindo a vitória e sua passagem às oitavas de final da Libertadores.

Definição do rival nas oitavas

Na próxima segunda-feira, 13 de maio, o time brasileiro vai conhecer seu rival nas oitavas de final, pois será realizado o sorteio dos confrontos das oitavas de final da Libertadores.

O próximo compromisso do Cruzeiro será no domingo contra o Internacional, em Porto Alegre, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 x 2 EMELEC-EQU


​Estádio: Mineirão- Belo Horizonte (MG)
Data-hora: 8 de maio de 2019, às 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Andre Rojas (COL)
Assistentes: Wilmar Navarro e John Alexander Leon(COL)
Cartões Amarelos: Rodriguinho (CRU); Vega, Guerrero e Dreer (EME)
Cartão Vermelho: não houve
Público/ Renda: Presente: 24.417/ Pagante: 18.083/ R$ 393.347,00

Gols: Rojas, aos 40'/2ºT(0-1); Sassá, aos 21'/2ºT(1-1); e Brayan Angulo, aos 44'/2ºT(1-2)

CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Fabrício Bruno, Léo e Egídio; Henrique e Ariel Cabral (Robinho - intervalo); Jadson (Thiago Neves, aos 19'/2ºT), Rodriguinho, Rafinha (David - intervalo) e Sassá. Técnico: Mano Menezes.

EMELEC: Esteban Dreer; Paredes, Mejía, Leandro Vega, Estácio (Johnson, aos 25'/2T), Wílmer Godoy, Queiroz (Arroyo, aos 32'/2ºT), Matamoros (Caicedo, aos 12'/2ºT), Rojas, Brayan Angulo, Fernando Guerrero. Técnico: Ismael Rescalvo